Cassilândia, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

14/01/2016 14:30

Secretário prevê ainda mais cinco meses de batalha contra o Aedes Aegypti

Campo Grande News

A baixa incidência de infestação do mosquito Aedes aegypti na maioria dos municípios, indicada pelo último boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde, não é um atestado de que a epidemia vem regredindo, segundo o coordenador estadual do controle de vetores, Mauro Lucio Rosa.

Ele explica que, com o início do ano, o trabalho de levantamento sobre o avanço da doença é retomado e como os casos suspeitos e demais dados são somados semanalmente, é natural que nas primeiras semanas do ano os índices estejam baixos.

"O que foi apurado em 2015 já foi fechado. Não existe uma continuidade do levantamento, mas sim, a apuração de informações novas", diz. O coordenador também revelou que a epidemia está avançando e a prova são os 1.785 casos notificados no Estado em apenas uma semana.

"Dentro de duas semanas podemos ultrapassar os 3 ou 4 mil casos notificados. Logo o boletim vai apresentar alta incidência na maioria das cidades novamente", afirma. Para Mauro Lucio a ações que vem sendo adotadas pelo poder público irão surtir efeito apenas no final do ano, já próximo da nova temporada de chuvas.

"Não tem como resolver o problema do dia para a noite. Estamos fazendo o possível, mas as chuvas excessivas atrapalharam o combate e os efeitos serão sentidos apenas a médio prazo. O quadro é crítico", afirma.

Mauro Lucio também reclama da falta de conscientização das pessoas que insistem em manter terrenos e quintais com lixo e objetos que podem se transformar em criadouros do mosquito.

O secretário de saúde do Estado, Nelson Tavares, também destaca o avanço da doença no Estado, porém é mais otimista quanto ao prazo para que o resultado das ações seja sentido pela população. "Nossa missão é debelar essa epidemia até o meio do ano. Não podemos aceitar mais essa situação", afirma.

Ele diz que o Exército já fechou parceria com o governo e já está atuando no combate também no interior, participando das visitas domiciliares. "As ações do projeto-piloto já estão surtindo efeito positivo e o objetivo é unir mais a sociedade", diz.

De acordo com o secretário, a estrutura disponível do governo vem atendendo bem os municípios, mas revela que alguns produtos de combate já estão em falta no mercado devido a demanda no restante do país. "Estamos com dificuldade de adquirir mais equipamentos como bombas costais (para aplicar inseticida)", revela.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)