Cassilândia, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

23/06/2012 09:50

Ruas vazias e comércio fechado marcam o Paraguai

Campo Grande News

A incerteza e o medo sobre o futuro do Paraguai se refletiram nas ruas de Assunção, capital do país, nas últimas horas. O comércio fechou as portas, as escolas suspenderam as aulas e poucas pessoas ousaram sair às ruas. Os motoristas de táxi só aceitavam viagens aos locais distantes das manifestações. Porém, quem decidiu enfrentar os obstáculos dos policiais e o frio optou por protestos pacíficos durante a noite de ontem e a madrugada de hoje (23).

Em Assunção ontem (22), depois do enfrentamento entre policiais e manifestantes nas praças em frente ao Congresso Nacional e ao palácio do governo, poucas pessoas continuaram nas ruas. Algumas pintaram as cores da Bandeira do Paraguai no rosto – branco, azul e vermelho – e outras mais discretos optaram por protestos pacíficos.

Professor de uma escola rural, Francisco Lescano acompanhou, da praça em frente ao Congresso Nacional, as últimas horas de discussão sobre o futuro do então presidente Fernando Lugo. “É um golpe não só para o Lugo. É um prejuízo para o Paraguai. É um retrocesso, pois quebrou-se a convivência democrática”, disse.

Crianças, jovens, mulheres e homens formavam pequenos grupos que se aqueciam nas praças com a ajuda de fogueiras durante a noite e a madrugada. Os policiais e militares das Forças Armadas acompanhavam de perto os grupos. “O Paraguai vive uma situação conjuntural diferente, o que trará consequências políticas e econômicas para todo o país, será um retrocesso”, disse o camponês Néstor Ordez.

Para a líder juvenil da cidade de Mariano, Laura Ferrera, a substituição de Lugo por Federico Franco representa uma ameaça à democracia e à participação popular no processo político do Paraguai. Segundo ela, a Constituição do país permite o processo de juízo, como chamam, equivalente ao impeachment, mas a forma como foi conduzido é que levanta suspeitas.

“Houve manobra política no processo.Foi tudo muito rápido. Em menos de 24 horas, resolveram o assunto. O povo paraguaio elegeu Lugo. Sou paraguaia e temos o direito de eleger o nosso presidente”, disse a líder.

Com a Bandeira do Paraguai amarrada ao pesçoço, o funcionário público Bruno Equez defendeu que a população paraguaia reaja à destituição de Lugo de forma pacífica, mas organizada. “Acho que deveria ter uma resistência cidadão e uma desobediência, por exemplo, deixando de pagar impostos. A maioria da população está indignada com essa situação”, disse.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)