Cassilândia, Quinta-feira, 01 de Outubro de 2020

Últimas Notícias

24/10/2003 09:26

Relatório aponta desvio de recursos do Fundef

Marina Domingos/ABr

Quatorze municípios dos estados do Ceará, Piauí, Pará, Maranhão e da Bahia vão ter de prestar contas ao Ministério Público e aos tribunais estaduais sobre uma série de irregularidades encontradas no repasse de recursos referentes ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef).

O desvio de recursos foi descoberto a partir de um relatório entregue pela Controladoria Geral da União (CGU), que observou problemas como aluguel de caminhões para o transporte escolar; a não-aplicação do mínimo de 60% dos recursos do fundo na remuneração dos professores; emissão de cheques sem fundos; atraso no pagamento de salários e do décimo-terceiro dos professores; irregularidades na construção de escolas; e pagamento de contas telefônicas.

De acordo com o diretor do Fundef, Francisco Chagas, o desvio de verbas não chega a ser uma novidade, mas com a comprovação de um órgão do governo federal a situação das prefeituras fica mais complicada. “Não é mais uma denúncia simples. Agora uma força-tarefa da CGU esteve ‘in loco’ para verificar a situação”, informou Chagas, lembrando que as denúncias também tratam de outros programas vinculados ao Ministério da Educação. “Se ficar comprovado que o dinheiro foi desviado, o prefeito pode ser cassado, responde criminalmente na justiça e pode perder o direito de renovar o cadastro de programas sociais como o bolsa-família”, disse o diretor.

O documento revelou ainda que em mais de 90% dos municípios os conselhos de Acompanhamento e Controle Social do fundo, obrigatórios por lei e constituídos por representantes da sociedade civil, não funcionam ou desconhecem suas atribuições e o montante do dinheiro movimentado, além de não acompanharem a realização do Censo Escolar.

“Nós estamos tentando trabalhar com a prevenção, para fortalecimento e atuação dos conselhos. Temos que conscientizar a população e evitar que prefeitos indiquem nomes de sua confiança para controlar o dinheiro”, defendeu o diretor.

Com o objetivo de garantir transparência nos conselhos, o MEC está preparando um Projeto de Lei que deve ser encaminhado à Câmara dos Deputados ainda esse ano. “Precisamos controlar os gastos com base na legislação, para impedir o mau uso dos recursos. Existiam vários projetos que foram transformados num só, mas pretendemos lançar um substitutivo, que prevê maior rigidez na formação do conselho”, explicou Chagas.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 30 de Setembro de 2020
17:50
Ituiutaba, Minas Gerais: confira o boletim coronavírus desta quarta-feira
11:00
Corrida/Nutrição/Fitness
Terça, 29 de Setembro de 2020
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)