Cassilândia, Sábado, 08 de Agosto de 2020

Últimas Notícias

02/07/2020 16:00

Professor da UFG fala sobre estudo que embasou decreto do isolamento

José Alexandre disse que os pesquisadores não sugerem medidas aos governos, apenas mostram cenários para a tomada de decisões

Governo de Goiás
Professor da UFG fala sobre estudo que embasou decreto do isolamento

O decreto do governo estadual que determina o isolamento intermitente de 14 dias em Goiás, a partir de 30 de junho, publicado na última segunda-feira, dia 29, foi feito com base em prognósticos de cenários para a Covid-19 realizados por um grupo de pesquisadores da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Para explicar como esses estudos são feitos, a apresentadora do TBC 1, Danuza Azevedo, conversou nesta quarta-feira, 1º de julho, com o professor e pesquisador José Alexandre Felizola Diniz Filho, do Instituto de Ciências Biológicas da UFG. Biólogo, mestre e doutor em zoologia, José Alexandre disse que o grupo não recomendou o isolamento intermitente, mas apenas apresentou ao governo as projeções para os diferentes cenários de expansão da doença em Goiás.

“Nosso modelo simula a progressão da epidemia no estado e a gente acerta os parâmetros do modelo, por exemplo, a velocidade em que a doença cresce, quanto tempo uma pessoa precisa para desenvolver os sintomas, quanto tempo a pessoa fica internada e quanto tempo pode demorar para a pessoa falecer. Com isso, a gente consegue reconstruir a trajetória da epidemia e construir cenários a partir do isolamento social”, explicou José Alexandre.

Segundo ele, o principal elemento nessas projeções é o isolamento social, já que ele define a evolução das infecções e a consequente necessidade de socorro hospitalar. “Se a gente compara o número de mortos, por exemplo, de duas ou três semanas atrás, quando tínhamos 200 mortes, com hoje, quando passamos de 500 mortes, você percebe isso”, disse exemplificando a velocidade de progressão da doença no estado em relação ao baixo índice de isolamento social, hoje em torno de 35%.

O professor e pesquisador da UFG terminou afirmando que os cenários revelados nos estudos do grupo precisam ser vistos não apenas para adoção de medidas de isolamento social sozinhas, mas que isso possa ser feito com aumento de vigilância epidemiológica, reforçando a estrutura de saúde em todos os níveis e aumentando o número de testes na população.

“Se a gente fizer as várias estratégias ao mesmo tempo, existe uma boa chance de a gente diminuir esse número de transmissão da doença. E isso não é só uma questão de governo, é uma questão da sociedade também de entender o problema”, afirmou.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 07 de Agosto de 2020
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)