Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

09/06/2016 09:00

Prisão de ventre no bebê

Baby Center

Não existe regra no que diz respeito à frequência do cocô de um bebê.

Você vai precisar observar e descobrir o que é normal para o seu filho. Cada bebê tem seu ritmo.
Como saber se meu filho está mesmo com prisão de ventre?
É importante saber que todo bebê tem de fazer força para defecar, mesmo que o cocô esteja pastoso ou líquido.

Logo você vai reconhecer as caretas que seu filho faz quando está "aprontando" na fralda.

Parece que ele está fazendo uma força enorme, desproporcional até. Isso é bem normal.

Também é bom saber que, mais que o número de dias sem fazer cocô, o que importa é o aspecto das fezes (não devem ser duras e secas) e o desconforto do bebê.

A constipação é rara em bebês novinhos, em especial nos que mamam no peito. O cocô do recém-nascido é pastoso ou quase líquido, amarelado e com pequenos grumos, que parecem gergelim.

Se seu filho estiver fazendo cocô de bolinha, é provável que esteja com prisão de ventre.

Veja uma incrível galeria de fotos que mostra direitinho como é o cocô do bebê.

O mais comum é os bebês amamentados ao seio fazerem cocô várias vezes por dia nas primeiras semanas.

Mas, depois dessa fase, podem passar a fazer só uma ou duas vezes na semana inteira. Isso é normal.

Bebês que tomam fórmulas lácteas tendem a fazer cocô só uma vez por dia, com uma consistência mais firme, mas às vezes só fazem uma vez a cada três ou quatro dias.

Isso não é considerado anormal, desde que o cocô não esteja duro demais, saindo em pedaços bem pequenos, e que o bebê esteja tranquilo, sem aparentar desconforto.

É comum os bebês começarem a sofrer com prisão de ventre quando começam a comer outros alimentos. Os sintomas são:

Irritabilidade, dor de barriga e desconforto gástrico
Abdome duro, estufado ao toque, com gases
Dor de barriga que melhora depois de fazer cocô
Traços de sangue nas fezes, normalmente devido a fissuras na pele do ânus, provocada pela passagem do cocô ressecado
Cocô duro, em bolinhas pequenas
Em alguns casos, um cocô quase líquido, frequente e em pequena quantidade, pode indicar prisão de ventre (porque só ele consegue passar pelas fezes ressecadas no intestino

O que pode estar provocando a prisão de ventre?
Veja abaixo alguns dos fatores que podem estar colaborando para a prisão de ventre:

Fórmula - Algumas fórmulas em pó podem prender o intestino do bebê, dependendo da sensibilidade de cada criança. Você pode conversar com o pediatra para trocar a marca ou o tipo da fórmula. Verifique se você está preparando a fórmula corretamente, com a medida certa e a quantidade especificada de água. Fórmula concentrada demais pode causar constipação.

Desidratação - Verifique se o bebê está recebendo bastante líquido. Se você amamenta, aumente a sua ingestão de líquido e confira se sua produção de leite é suficiente e se o bebê está mamando bem. Lembre-se de que um bebê amamentado só tem prisão de ventre se o cocô estiver duro e ressecado, o que é muito raro. Se seu filho toma fórmula, dê água nos intervalos das mamadas. Para bebês que já comem outros alimentos, dê água e sucos ao longo do dia.

Introdução de novos alimentos - Quando o bebê começa a comer outras comidas, o intestino pode ficar mais vagaroso. Um dos maiores culpados é o cereal (mingau) de arroz, que prende o intestino e tem pouca fibra. É melhor introduzir, com a ajuda do pediatra, alimentos com mais fibras.

Auto-obstipação infantil - Pode acontecer também de a criança, quando cresce, começar a segurar o cocô, por associar o ato de defecar com algo doloroso (pode ser que uma vez tenha doído). Nesse caso é preciso conversar com o pediatra para adotar uma estratégia que faça a criança dissociar o ato de fazer cocô de uma experiência dolorosa. O médico pode receitar algum tipo de laxante leve, ou uma alimentação laxativa.

Em casos bem mais raros, a prisão de ventre pode ser causada por uma doença ou problema congênito, que só o médico saberá avaliar.
Como tratar a prisão de ventre no bebê?
Converse com o pediatra antes de tomar medidas para aliviar o desconforto do bebê.

Lembre-se de fazer uma lista de perguntas nas consultas de rotina para já saber o que fazer no caso de uma eventual prisão de ventre.

Veja algumas das alternativas:

Faça exercícios no bebê. Para bebês pequenos, faça o movimento de bicicleta nas perninhas. Se o bebê já engatinha, coloque-o no chão por bastante tempo por dia.
Massageie a barriga do bebê. Pressione com firmeza três dedos abaixo do umbigo, por cerca de três minutos.
Para bebês que tomam fórmula em pó, pergunte ao médico se não pode trocar de tipo ou marca.
Se seu filho come cereal de arroz, experimente trocar por outro tipo de cereal, como o de aveia. Ou só dê cereal misturado com frutas que soltam o intestino, como o mamão papaia. Papinha de ameixa preta costuma ajudar.
Use uma das estratégias favoritas das mães: deixar uma ameixa preta de molho num copo d'água durante a noite e depois dar a água ao bebê, ou ainda bater a ameixa junto com suco. Lembre-se de que bebês de menos de 1 ano não devem comer mel.
Aumente a quantidade de líquido que o bebê toma. E prefira frutas e verduras que soltam o intestino, reduzindo a quantidade de banana e maçã, por exemplo.

Não posso usar supositório no bebê, ou dar laxante?
Pergunte para o pediatra do bebê que métodos pode usar quando o bebê estiver obviamente desconfortável por causa da prisão de ventre.

Pode ser que o pediatra receite algum tipo de laxante natural, ou ainda um supositório, de glicerina ou com medicamento.

O supositório deve ser guardado para situações de emergência, assim como o estímulo do ânus, para que o bebê não fique acostumado a só fazer cocô com ajuda externa.

Saiba também o que fazer quando o bebê sofre de gases e entenda se o cocô vai mudar quando seu filho começar a comer outros alimentos.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)