Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

05/10/2007 07:02

Presos confeccionam cadeiras de rodas

TJMT

Na próxima segunda-feira (8 de outubro), detentos do sistema prisional da Comarca de Sorriso entregarão a entidades carentes do município as primeiras unidades de uma série de cadeiras de rodas, cadeiras fisiológicas e macas que começaram a ser produzidas em setembro no Centro de Ressocialização local. A ação acontece por meio do projeto "Liberdade sobre rodas". O projeto foi idealizado pelo ex-coordenador de atividades laborais da Secretaria de Justiça de Santa Catarina, professor Júlio Carneiro, e desenvolvido em parceria com a Corregedoria da unidade prisional, sob responsabilidade da juíza Débora Roberta Pain Caldas, e o Poder Executivo municipal.



A Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) será uma das primeiras instituições beneficiadas. Nesse primeiro instante, serão entregues três cadeiras de rodas, duas cadeiras fisiológicas e duas macas. A solenidade de entrega dos produtos será realizada na segunda-feira às 18h30, no Shopping Park Sorriso. "Na ocasião, dois detentos representando o grupo farão a entrega dos equipamentos produzidos às entidades filantrópicas", destaca a magistrada. A meta do projeto é que os detentos produzam pelo menos 10 cadeiras de rodas por mês.



De acordo com a juíza corregedora da cadeia local, o projeto "Liberdade sobre rodas" tem traz três grandes benefícios. O primeiro deles é a possibilidade de remição de pena dos detentos que participarem da oficina, na proporção de um dia a menos na pena a cumprir a cada três dias trabalhados. Outra vantagem é o apoio gratuito dado às entidades filantrópicas do município, atendendo às necessidades dessas instituições. Além disso, os detentos contribuem para a preservação do meio ambiente, pois os equipamentos - cadeiras, macas, andadores etc. - serão produzidos com sucatas de bicicletas apreendidas pela polícia que não foram procuradas e nem interessam mais a processos judiciais.



"Além de possibilitar ao preso a remição de pena e de contribuir com instituições que atendem pessoas carentes, o projeto também livra o meio ambiente de sucatas que aceleram sua degradação, reciclando bicicletas que ficavam entulhadas no pátio da delegacia. Os reeducandos transformam essas em importantes utensílios para pessoas com necessidades especiais", assinala a juíza Débora Caldas. Os equipamentos produzidos serão entregues para entidades de assistência social sem fins lucrativos, como asilos e hospitais.



O trabalho da oficina de detentos com as bicicletas teve início na quinta-feira passada (27 de setembro) no Centro de Ressocialização de Sorriso. Essa mesma iniciativa foi desenvolvida pelo professor Júlio Carneiro em Santa Catarina e, devido à notoriedade do projeto, foi reproduzido em vários Estados. Em Mato Grosso, para ensinar aos detentos como confeccionar as cadeiras de rodas, o professor Júlio está ministrando curso de 15 dias para sete reeducandos, que serão multiplicadores dos ensinamentos para outros detentos interessados e que se enquadrarem no perfil de trabalho a ser realizado.



A juíza Débora Caldas explica que a oficina terá sete vagas fixas. Na medida em que os detentos participantes forem progredindo de regime, novos detentos terão a chance de participar da iniciativa. Para participar, os interessados serão analisados por uma psicóloga, uma assistente social e pelo diretor da cadeia. "Eles devem ter bom comportamento e baixa periculosidade", acrescenta.



Para a realização do projeto, o Centro de Ressocialização contou com o apoio do vice-prefeito de Sorriso, Luiz Carlos Nardi, que manteve o primeiro contato com Júlio Carneiro e custeou as despesas de transporte, hospedagem e alimentação do professor. O projeto "Liberdade sobre rodas" também conta com apoio do promotor de justiça Marco Aurélio de Castro, do diretor Adomires Soares Sampaio, e do Conselho da Comunidade, representado por Lucinei Baretta e Adelizis Faxo, além dos delegados de Polícia Civil Maria de Fátima Moggi e Enio Carlos Lacerda.

HORTA - Desde outubro do ano passado, os detentos de Sorriso também têm a opção de exercer trabalho remunerado na horta instalada em frente à cadeia. Eles plantam e cultivam verduras e legumes que posteriormente são vendidos em mercados locais. O projeto foi desenvolvido pela juíza Débora Caldas e pelo Conselho da Comunidade local, com o apoio dos poderes Executivo e Legislativo. A remuneração dos reeducandos é retirada do valor das vendas dos produtos. Antes de repassar o salário aos detentos, entretanto, são descontados os custos da produção das verduras. Os detentos que trabalham conseguem também o benefício da remição (cada três dias trabalhados diminui um dia do total da pena a ser cumprida).

DROGAS - Em abril deste ano foi lançado na Cadeia Pública de Sorriso o projeto "Drogas, problema seu, meu, nosso", que tem como objetivo principal a desintoxicação de presos com dependência química, uma das principais causas da criminalidade. O projeto resulta de uma parceria entre o Conselho da Comunidade e a Clínica de desintoxicação de dependentes químicos 'Lar de Deus', que atende doentes com dependência química em todo Estado, inclusive por meio de convênios firmados com municípios. Segundo a juíza Débora Caldas, o projeto inaugurou uma nova fase na função ressocializadora da pena, voltada para atacar a causa e não somente a conseqüência do delito.



"A partir de pesquisa feita na unidade prisional local constatamos que, dos infratores que cometem crimes patrimoniais, 75% têm envolvimento com drogas tanto lícitas (álcool, tabaco), quanto ilícitas (principalmente pasta-base de cocaína)", explica. Para a presidente do Conselho da Comunidade, Lucinei Baretta, o projeto é único na região. Isso porque leva para dentro dos muros prisionais uma equipe multidisciplinar que trata os usuários de drogas para que eles possam sair livres da dependência química. O objetivo é evitar que eles reincidam no crime a fim de manter o vício.



O município de Sorriso está localizado a 420 quilômetros ao Norte de Cuiabá.





Coordenadoria de Comunicação do TJMT

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Dezembro de 2017
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)