Cassilândia, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

09/08/2005 11:01

PMs tentam derrubar lei que permitiu acordo com governo

Fernanda Mathias/Campo Grande News

A Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul deve ingressar na próxima semana com Adin (Ação Direta de Inconstitucionalidade) para derrubar a lei 2.946 de 17 de dezembro 2004, que permitiu acordo com o governo do Estado.Pela lei, só poderiam aderir aqueles militares que renunciassem pagamentos retroativos e ações questionando o não-pagamento de três gratificações previstas pela lei também estadual 2.180, de 2000.
A medida foi adotada pelo governo como uma saída administrativa diante da impossibilidade de pagar uma dívida milionária com a categoria reconhecida pela Justiça. Teve adesão de cerca de 92% do efetivo da PM, considerando ativos e inativos. É freqüente sair no Diário da Justiça homologação de acordos que culminam no trancamento das ações individuais.
A renegociação estabelecida por lei pelo governo ocorreu depois que várias ações foram ingressadas, questionando o não pagamento dos benefícios conforme estabelecido em 2000. Porém, afirma a advogada da associação, Silvana Pereira, a exigência de renunciar o direito de questionar é inconstitucional, por macular várias cláusulas da Constituição Federal. A advogada afirma que tanto no Fórum quanto no Tribunal de Justiça existem decisões pela procedência de ação contra o acordo, mas é preciso ir ao STF (Supremo Tribunal Federal) por se tratar de matéria constitucional. Para isso, o recurso será interposto através do PPS, que se dispôs, uma vez que entre os que podem ingressar com Adin estão os partidos e no caso de se tratar de uma ação na esfera federal deveria ser uma entidade atuante em nível nacional. A perspectiva é que a Adin seja ingressada na próxima semana.
No TJ, a associação teve liminar indeferida na ação direta de inconstitucionalidade.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
13:15
Cassilândia
09:00
Maternidade
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)