Cassilândia, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

23/06/2008 20:44

PF prende 31 suspeitos de fraudar INSS em quase R$ 30 mi

Agência Brasil

Rio de Janeiro - A Polícia Federal cumpriu hoje (23) 12 mandados de prisão temporária e 19 mandados de prisão preventiva de funcionários da Previdência Social, advogados, médicos e vereadores acusados de participar de uma quadrilha que fraudava benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A fraude pode chegar a R$ 30 milhões, segundo a polícia.

Foram cumpridos também 35 mandados de busca e apreensão nos municípios onde a quadrilha atuava: Bom Jesus de Itabapoana e Campos dos Goytacazes, no norte do estado do Rio, e Apiacá e São José do Calçado, no Espírito Santo.

A Polícia Federal já confirmou um prejuízo de R$ 11 milhões à Previdência Social desde 2004, mas estima que esse número possa chegar a R$ 30 milhões. Segundo o Ministério Público Federal, quase 10% da população de Bom Jesus de Itabapoana era beneficiada com auxílios-doença e aposentadorias por invalidez fraudulentas. A central das ações era o posto do INSS do município.

Gráficos mostram que a porcentagem de pessoas beneficiadas em Bom Jesus é significativamente maior que a média do estado do Rio e do Brasil. Durante as investigações, que começaram no ano passado, ligações telefônicas foram interceptadas pela polícia.

De acordo com o superintendente da Polícia Federal no Rio, Valdinho Jacinto Caetano, os responsáveis pela fraude também tinham ligações com a política, uma vez que parte do dinheiro era desviado para campanhas eleitorais.

"Pela investigação que fizemos, concluímos que isso era um modo absolutamente tranqüilo, a ponto de um servidor do INSS, ao receber o pedido de um determinado político para encaminhamento de um grupo de pessoas, declarar que isso ia dar cadeia, que estava absolutamente explícito e ele não queria mais fazer parte disso, porque estava tão claro, tão normal, tão entranhado que ia dar cadeia. E deu mesmo."

Pessoas aptas ao trabalho contribuíam no mínimo de três a quatro meses e obtinham o valor máximo dos benefícios através de falsas perícias feitas por médicos do INSS ou médicos particulares. Os benéficos serão suspensos pelo INSS e os 19 acusados vão responder processo por formação de quadrilha, estelionato, advocacia administrativa (ou seja, crime praticado por funcionário público para patrocinar interesses privados), e prevaricação, que é o crime de funcionário público contra administração. Todas as pessoas que recebiam os benefícios também estão sendo investigadas.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)