Cassilândia, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

29/06/2005 07:28

Pesquisadores da Uems descobrem novas espécies de peixes

Marcio Breda/Campo Grande News

Novas espécies de peixes foram descobertas em rios de Ponta Porã, Antonio João, Maracaju, Sidrolândia, Nioque e Jardim depois de estudos de acadêmicos e professores da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul). As espécies foram catalogadas pelo estudo do professor doutor Yzel Rondon Súarez, juntamente com acadêmicos da instituição.
O projeto analisou as comunidades de peixes em riachos da Cabeceira do Rio Apa, Paraguai e Paraná, observando o impacto ambiental e poluição nesses rios e sua interferência no habitat dos peixes.
São pelo menos três novas espécies, que serão analisadas em conjunto com outros laboratórios para confirmar a descoberta. Outras ainda serão estudadas e também podem ser classificadas como espécies desconhecidas. De acordo com o professor doutor Yzel Suarez, é importante conhecer os passos de evolução destas espécies de peixes, que apesar da pequena distância entre as nascentes dos Rios Apa e Dourados, são isoladas biogeograficamente desde a formação do Pantanal. “São riachos separados por apenas 10 ou 15 Km, mas isolados a milhões de anos”.
As espécies, de acordo com o professor, não habitavam alguns riachos, podem ter alcançado novos habitat de maneira natural, como uma expansão natural, ou com a intervenção humana, como peixes coletados e soltos em diferentes rios. “É importante levantar as espécies que habitam os riachos das bacias e registra-los antes de uma possível extinção, afirma o professor Yzel”.
“Existem muitas outras espécies que ainda precisam de registro e outras em que não houve tempo para a pesquisar. Um exemplo é uma espécie descoberta em um riacho de Paranhos a 4 anos, mas que devido a assoreamento, provavelmente será catalogada como extinta”, explica o pesquisador.
O projeto procura identificar quais espécies de peixes ocorrem nas nascentes dos rios na região de interface entre o Pantanal e bacia do Paraná. Os estudos realizados observam o tamanho mínimo de peixes, o comportamento reprodutivo e o monitoramento de recursos pesqueiros. As pesquisas procuram estabelecer técnicas para minimizar o impacto ambiental e evitar a extinção de outras espécies ainda não conhecidas.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
13:15
Cassilândia
09:00
Maternidade
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)