Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

16/09/2008 07:25

Pesquisa: 42% das gestantes de seis capitais têm DST

Morillo Carvalho/ABr

Brasília - Uma pesquisa do Programa Nacional de DST/Aids realizada em seis capitais brasileiras e divulgada ontem (15) revela que 42% das gestantes têm alguma doença sexualmente transmissível. Esse foi o primeiro grande estudo quantitativo sobre doenças sexualmente transmissíveis no país. Os dados refletem apenas a realidade das cidades pesquisadas: Manaus (AM), Fortaleza (CE), Goiânia (GO), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP) e Porto Alegre (RS).

“A pesquisa vem ao encontro do que já esperávamos: as DST existem, mas não se quantificavam. E o que mais chama atenção é a prevalência de sífilis em 2,6% dos casos, e em 9,4%, de clamídia [doença infecto-contagiosa dos órgãos genitais masculinos ou femininos. Caracteriza-se pela presença (pode não ocorrer) de secreção (corrimento) uretral escassa, translúcida e geralmente matinal]. Principalmente porque a sífilis pode trazer complicações sérias, inclusive com morte do feto ou parto prematuro”, diz o responsável pela Unidade DST do Programa Nacional de DST/aids, Valdir Pinto.

Do contingente de 42% de gestantes com DST, cerca de 11% tinham infecções bacterianas, que podem ser tratadas com facilidade, de acordo com a pesquisa. Outras 37% apresentaram infecções virais - aids (HIV) ou HPV. Ambas não têm cura, mas podem ser tratadas e, se a paciente não apresentar verrugas ou lesões genitais, o HPV não traz riscos à saúde dos bebês.

Além de clamídia e sífilis, a gonorréia apareceu em 1,5% dos casos. Foi constatado ainda que 10% das gestantes estudadas apresentaram infecções simultâneas das doenças.

O estudo foi realizado entre gestantes, homens empregados em pequenas indústrias – público escolhido porque a legislação obriga empresas com mais de 100 funcionários a terem médico do trabalho – e pessoas que procuraram serviços de saúde especializados em doenças sexualmente transmissíveis. Essas últimas constituem o público considerado como mais vulnerável pelas autoridades sanitárias.

“Nós queríamos essa população para saber como se comportam esses homens que não têm médico no trabalho. E o importante é que 5,2% deles tinham DST, quase 18% tiveram entre duas e quatro parceiras no ano anterior e 7,2% tiveram entre cinco e 10 parcerias sexuais. Isso tudo é o que torna ele mais vulnerável a transmitir e adquirir uma DST”, afirma.

No total, foram feitos mais de 9 mil pessoas foram submetidas a exames de sífilis, gonorréia, clamídia, HIV, hepatite B e HPV. As gestantes e homens que trabalham em pequenas indústrias serviram, segundo os responsáveis pela pesquisa, como referência de amostragem para refletir a população das cidades analisadas.






Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)