Cassilândia, Quarta-feira, 23 de Maio de 2018

Últimas Notícias

05/11/2007 15:55

Paranaiba pode ter deputado; PMDB quer cargo de Artuzzi

Graciliano Rocha/Campo Grande News

O PMDB vai entrar na Justiça para tentar retomar o mandato do deputado estadual Ari Artuzi, que se elegeu pelo partido em 2006 e se filiou ao PDT em setembro. A decisão foi tomada após uma reunião que durou quase noventa minutos na casa do presidente estadual da legenda, deputado federal Waldemir Moka.

“A executiva do partido decidiu por seis votos a três recorrer à Justiça para tentar obter o mandato de volta”, informou Moka. Segundo ele, a assessoria jurídica do PMDB começa a preparar a ação já a partir de amanhã.

A votação foi secreta. Os votos foram escritos em pedaços de papel onde os membros da executiva anotaram sim ou não para o pleito judicial. A 1ª suplente da Assembléia Celina Jallad, que exerce o mandato interinamente com a licença de Carlos Marun, participou da eleição. Houve quatro abstenções.

Caso o pedido do PMDB seja aceito pela justiça, Celina ficará definitivamente com a vaga e o ex-prefeito de Paranaíba Diogo Tita, 2º suplente do partido e que provocou a reunião da executiva, será empossado como substituto de Marun.

Puccinelli minimizou o efeito da sua decisão na sua base de apoio na Assembléia. O PDT de Artuzi integra a bancada governista. Lançando mão de uma citação bíblica, ele se disse traído por Artuzi.

“Quem tinha direito de ficar bravo era eu, disse a ele [Artuzi] que antes de o galo cantar três vezes me trairás. Perguntei uma vez e ele me disse que não sairia, perguntei a segunda vez e ele me disse que não sairia, perguntei a terceira vez, ele me disse que não era filho de pai apressado e disse que não sairia, e saiu”, comparou Puccinelli ao episódio da negação de Cristo pelo apóstolo Pedro.

Puccinelli, que demitiu todos os apadrinhados de Artuzi no governo quando ele trocou de partido, disse que a decisão do PMDB não se trata de vingança. “Vingança quem vai fazer é o povo, que vai comer o fígado dele”.

Baralho eleitoral - O primeiro partido a declarar o interesse de tentar cassar um mandato por infidelidade em Mato Grosso do Sul é curiosamente a legenda que mais engordou com o troca-troca partidário.

O PMDB elegeu no ano passado sete deputados estaduais. Chegou a oito em janeiro quando Maurício Picarelli trocou o oposicionista PTB pelo partido do governador, e voltou a ter os mesmos sete depois que Artuzi foi para o PDT. Como Picarelli trocou de partido antes de 27 de março - data em que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) considerou que o mandato pertence ao partido e não ao político - não há risco de cassação.

Além dos deputados, o partido ganhou pelo menos 10 novos prefeitos e dezenas de vereadores em Campo Grande e no interior.

A saída de Artuzi do PMDB foi uma resposta à filiação de outro parlamentar ao partido, o deputado federal Geraldo Resende (ex-PPS), em agosto. Os dois são pré-candidatos à prefeitura de Dourados. O PPS já expressou interesse em tentar cassar o mandato de Resende por infidelidade.

Terno da posse - O ex-prefeito Tita estava radiante após a decisão da executiva. Dizendo-se “prestigiado” com a decisão, ele comentou que um mandato de deputado é uma necessidade da região já que Paranaíba e boa parte da chamada região do Bolsão não conseguiu eleger nenhum parlamentar na Assembléia.

E esbanjou otimismo: “Vamos esperar a decisão judicial e daí vamos escolher um terno baratinho.”

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 23 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Terça, 22 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Segunda, 21 de Maio de 2018
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)