Cassilândia, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

05/11/2007 15:55

Paranaiba pode ter deputado; PMDB quer cargo de Artuzzi

Graciliano Rocha/Campo Grande News

O PMDB vai entrar na Justiça para tentar retomar o mandato do deputado estadual Ari Artuzi, que se elegeu pelo partido em 2006 e se filiou ao PDT em setembro. A decisão foi tomada após uma reunião que durou quase noventa minutos na casa do presidente estadual da legenda, deputado federal Waldemir Moka.

“A executiva do partido decidiu por seis votos a três recorrer à Justiça para tentar obter o mandato de volta”, informou Moka. Segundo ele, a assessoria jurídica do PMDB começa a preparar a ação já a partir de amanhã.

A votação foi secreta. Os votos foram escritos em pedaços de papel onde os membros da executiva anotaram sim ou não para o pleito judicial. A 1ª suplente da Assembléia Celina Jallad, que exerce o mandato interinamente com a licença de Carlos Marun, participou da eleição. Houve quatro abstenções.

Caso o pedido do PMDB seja aceito pela justiça, Celina ficará definitivamente com a vaga e o ex-prefeito de Paranaíba Diogo Tita, 2º suplente do partido e que provocou a reunião da executiva, será empossado como substituto de Marun.

Puccinelli minimizou o efeito da sua decisão na sua base de apoio na Assembléia. O PDT de Artuzi integra a bancada governista. Lançando mão de uma citação bíblica, ele se disse traído por Artuzi.

“Quem tinha direito de ficar bravo era eu, disse a ele [Artuzi] que antes de o galo cantar três vezes me trairás. Perguntei uma vez e ele me disse que não sairia, perguntei a segunda vez e ele me disse que não sairia, perguntei a terceira vez, ele me disse que não era filho de pai apressado e disse que não sairia, e saiu”, comparou Puccinelli ao episódio da negação de Cristo pelo apóstolo Pedro.

Puccinelli, que demitiu todos os apadrinhados de Artuzi no governo quando ele trocou de partido, disse que a decisão do PMDB não se trata de vingança. “Vingança quem vai fazer é o povo, que vai comer o fígado dele”.

Baralho eleitoral - O primeiro partido a declarar o interesse de tentar cassar um mandato por infidelidade em Mato Grosso do Sul é curiosamente a legenda que mais engordou com o troca-troca partidário.

O PMDB elegeu no ano passado sete deputados estaduais. Chegou a oito em janeiro quando Maurício Picarelli trocou o oposicionista PTB pelo partido do governador, e voltou a ter os mesmos sete depois que Artuzi foi para o PDT. Como Picarelli trocou de partido antes de 27 de março - data em que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) considerou que o mandato pertence ao partido e não ao político - não há risco de cassação.

Além dos deputados, o partido ganhou pelo menos 10 novos prefeitos e dezenas de vereadores em Campo Grande e no interior.

A saída de Artuzi do PMDB foi uma resposta à filiação de outro parlamentar ao partido, o deputado federal Geraldo Resende (ex-PPS), em agosto. Os dois são pré-candidatos à prefeitura de Dourados. O PPS já expressou interesse em tentar cassar o mandato de Resende por infidelidade.

Terno da posse - O ex-prefeito Tita estava radiante após a decisão da executiva. Dizendo-se “prestigiado” com a decisão, ele comentou que um mandato de deputado é uma necessidade da região já que Paranaíba e boa parte da chamada região do Bolsão não conseguiu eleger nenhum parlamentar na Assembléia.

E esbanjou otimismo: “Vamos esperar a decisão judicial e daí vamos escolher um terno baratinho.”

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)