Cassilândia, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

24/01/2007 15:20

Para jurista, governo não pode mexer no FGTS

Agência Brasil/Yara Aquino

A proposta de usar dinheiro do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para melhorar a infra-estrutura do país enfrenta um entrave jurídico, na avaliação do jurista Yves Gandra Martins.

A criação de um fundo de investimento em infra-estrutura com recursos do FGTS está prevista no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), lançado segunda-feira (22) pelo governo federal.

“O problema é jurídico. O governo não pode dispor como quiser de algo que não lhe pertence. Não vejo como, juridicamente, possa decidir em nome do trabalhador”, afirmou o jurista, em entrevista à Rádio Nacional.

Martins disse que os investimentos em infra-estrutura são aplicações com rentabilidade de longo prazo e que a proposta é “uma espécie de empréstimo compulsório”.

Ele considera útil investir em infra-estrutura, mas acha que isso só deve ser feito em “comum acordo” com os trabalhadores.

Uma das propostas é aplicar inicialmente R$ 5 bilhões do patrimônio líquido do FGTS em obras de infra-estrutura como estradas, rodovias e ferrovias. Porém, o montante pode chegar a aproximadamente R$ 17 bilhões, ou seja, 80% do patrimônio líquido, que atualmente é de cerca de R$ 21 bilhões. O patrimônio líquido é formado pelo acúmulo da rentabilidade do FGTS e não está vinculado à conta do trabalhador.

Ontem, a Força Sindical e a Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos entraram com ação no Supremo Tribunal Federal pedindo que o fundo seja considerado inconstitucional.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 12 de Dezembro de 2017
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)