Cassilândia, Segunda-feira, 21 de Maio de 2018

Últimas Notícias

12/06/2008 07:21

Para CPT, tamanho de propriedade rural deve ser limitado

Marco Antônio Soalheiro /ABr

Brasília - Ao mesmo tempo em que apóia a intenção manifestada pelo governo federal de criar regras para controlar a venda de terras nacionais para estrangeiros, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) entende que o país precisaria também da imposição de limites ao tamanho das propriedades nas mãos dos próprios brasileiros.

“Nesse mundo, se limita número de filhos na China e na Índia, se limita o poder da pesquisa na ciência, o poder dos veículos de comunicação,e não se limita o tamanho da propriedade da terra . Temos que ter regulamentações de acesso à terra para reduzir o poder do latifúndio”, afirmou, em entrevista à Agência Brasil o padre Dirceu Fumagalli, coordenador nacional da CPT.

O indicador defendido pela CPT prevê que uma propriedade rural brasileira tenha no máximo tamanho equivalente a 35 módulos fiscais, que variam conforme a região. Em Mato Grosso, por exemplo, um módulo é formado de 100 hectares. “ Não dá para um único proprietário ter centenas de milhares ou milhões de hectares. Se um módulo é suficiente para um família viver no campo, permitiríamos ainda que alguém tenha 35 vezes o necessário”, argumentou Fumagall.

Segundo o representante da CPT, o modelo de incentivo ao agronegócio adotado pelo governo brasileiro é incompatível com a reforma agrária: “O presidente Lula diz que o objetivo é conciliável, mas não é. Ou você destina a terra para função social, produção de alimentos, para relações de quem nela convive em harmonia com a natureza , ou destina para gerar mercadoria. Os grandes latifúndios produzem commodities para o mercado externo”.

A política de reforma agrária no Brasil ainda é tímida, conforme Fumagalli, porque “está sucumbida ao poder econômico” dos latifundiários. O padre disse que os movimentos sociais precisam dialogar com sociedade, “que é maior do que o Estado”, a fim de que ela exija a distribuição das terras nacionais em pequenas propriedades: “É só olhar no nosso café da manhã, almoço e jantar. Do que tem em cima das nossas mesas, 75% a 85% são oriundos da agricultura familiar camponesa, que produz com qualidade , não degrada o ambiente e não super-explora mão-de-obra”.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 21 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Domingo, 20 de Maio de 2018
15:18
Cassilândia/Itajá
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)