Cassilândia, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

10/12/2005 12:27

Orçamento da União pode ser aprovado antes do natal

Iolando Lourenço - Abr

Brasil Agora


O Congresso Nacional tem condições técnicas de aprovar o Orçamento Geral da União antes do natal. A garantia foi dada ontem (9) pelo relator da matéria, deputado Carlito Merss (PT-SC). Segundo ele, na semana que vem podem ser votados praticamente todos os dez relatórios setoriais e, no início da semana seguinte, a Comissão Mista de Orçamento deverá apreciar o relatório final. Merss avalia que a votação do orçamento no plenário do Congresso Nacional deve acontecer antes do natal. Ele alertou que não se justificam os argumentos de convocação extraordinária do Congresso, com remuneração, para votar a matéria.

O parlamentar informou, também, que está trabalhando para ter um orçamento mais razoável e racional dentro das possibilidades de aumento de arrecadação em 2006. "É possível termos um aumento de receita na faixa de 4%. Se esse aumento for maior será melhor na medida em que poderão ser atendidas mais emendas parlamentares e outros investimentos", disse. Segundo ele, nesse ano se imagina um aumento de arrecadação de R$ 13 bilhões. "Para 2006, estamos fazendo um cálculo que há possbilidade, pelas reestimativas, de mais R$ 10 bilhões de arrecadação, mas a Receita Federal acha que o Congresso está exagerando", observou.

Em relação ao reajuste para o salário mínimo, Merss frisou que trabalha com números que vão de R$ 330 a R$ 400, a partir de 1 de maio de 2006. Segundo ele, um reajuste para R$ 400 vai custar para a Previdência cerca de R$ 12,4 bilhões e um aumento para R$ 340, "que é razoável", custa R$ 3 bilhões para a Previdência.

"Estou me convencendo a iniciar a discussão com R$ 340, mas vou lutar para que ultrapasse esse valor", antecipou. A proposta do governo no orçamento era elevar o salário mínimo dos atuais R$ 300 para R$ 321.

A idéia do relator é usar os quase R$ 10 bilhões (R$ 9,9 bilhões) previstos como excedente de arrecadação para o ano que vem para cobrir o custo extra da Previdência com o aumento do mínimo. Merss lembrou que o aumento do mímino vai levar as prefeituras a mais dificuldades para pagamento dos servidores. "As prefeituras não terão como arcar com um reajuste alto. Hoje, segundo a Confederação Nacional dos Municípios [CNM], mais de 500 prefeituras têm dificuldades para pagar R$ 300. O presidente da CNM alertou que, com R$ 340, cerca de duas mil prefeituras terão dificuldades para arcar com esse valor", disse.

Merss informou que está trabalhando para fechar a proposta orçamentária com números para 2006, da inflação em 4,5 %, do Produto Interno Bruto (PIB) em 4,5% e do superávit primário em 4,25. Em relação à correção da tabela do Imposto de Renda, ele disse que trabalha com números que vão de 5 a 12%. Salientou que para o aumento dos servidores públicos precisará de R$ 3,2 bilhões a mais no orçamento. "Todos os servidores deverão ter reajuste no mínimo equivalente à inflação", disse.

As prioridades do relator para aplicação dos R$ 9,9 bilhões de excedente de arrecadação são, segundo ele, o aumento do salário mínimo, o reajuste dos servidores, recursos para o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), para a saúde, para a educação e para o ressarcimento dos estados atingidos pela lei Kandir.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)