Cassilândia, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

24/11/2006 04:57

O recado do Cheida - Entulho cidadão

*Luiz Eduardo Cheida

Um puxadinho no fundo de casa para o filho que acabou de casar; o reparo da calçada no fim de semana; a sonhada reforma do banheiro; o conserto do muro e outras incursões ao mundo dos tijolos, somadas à construção civil formal (que ainda desperdiça inexplicáveis 20% do material utilizado) produz, nas cidades, mais de 0,5Kg de entulho/habitante/dia. Dessa forma, uma cidade de 500 mil habitantes gera mais de 250 toneladas entulhos/dia.

Entulhos ou caliças são resto de construções como pedra, caco de telha e tijolo, cimento, cal, areia, ferro, madeira. Jogados em calçadas, meio-fios, praças, terrenos baldios, fundos-de-vale, são um transtorno para a cidade.

Onde já existe entulho, as pessoas jogam pneus velhos, papel de bala, lixo orgânico e outros resíduos. Não demora, o local vira um pequeno lixão.

Uma cidade chega a ter milhares destes pontos de depósito. Legiões de roedores, baratas, moscas e mosquitos aí encontrarão abrigo e comida. Ou seja: milhares de focos de contaminação do solo, da água e do ar. Provavelmente, muitas das doenças que nos acometem originem-se daí.

Até cupins, antes de assolarem árvores e residências crescem, alimentados com a madeira deixada nestes locais.

A chuva e o vento também levam os entulhos para rios e lagos, assoreando-os. Eles entopem bueiro. Bueiros entupidos, ruas alagadas nos dias de chuva.

Que fazer?

Os entulhos podem ser reaproveitados.

Uma experiência exitosa, em Londrina (PR), construiu mais de 200 casas, quilômetros de calçadas, anfiteatros ao ar livre e prédios administrativos, com matéria prima que seria condenada a um bota-fora qualquer.

Há 12 anos, nesta ação pioneira, triturando-se 100 toneladas de entulho ao dia, produzia-se 3.500 tijolos. Número suficiente para construir uma casa de 25 m2. A cidade gerava 300 toneladas de entulho/dia e moia 100 toneladas.

As casas destinaram-se a favelados e ocupantes de fundos-de-vale.

Sob supervisão técnica e em mutirão, estas pessoas construíam as casas, sem saber qual seria sua. Depois de prontas, um sorteio indicava o futuro morador.

Durante a construção, um programa capacitava os mutirantes que qualificaram-se como serventes, encanadores, pintores, eletricistas.

Tudo pronto, passaram a residir em uma casa com número fixo, em uma rua com nome, a não terem mais o constrangimento de dizer na entrevista ao emprego que não possuíam endereço. O fato mudou radicalmente o comportamento dos homens e mulheres. Estes, reduziram o consumo de álcool em mais de 60% e aquelas, diminuíram a quase zero a procura de atendimento médico por queixas vagas como dores-de-cabeça, zumbido nos ouvidos e alterações menstruais. Os espancamentos e demais maus tratos entre os casais, praticamente foram abolidos.

Acabou-se com o desperdício, reciclando os materiais (que saem da natureza); acabaram-se os muitos pequenos lixões; poupou-se o ambiente; deu-se um destino social aos entulhos; o êxito da promoção social coroou o processo.

E a cidade passou a ser não só poupadora mas produtora de energia, um conceito que inverteu a lógica das políticas ambientais até então.

O que você pode fazer:

Nunca coloque material de construção sobre a rua ou calçada. É proibido por Lei e ecologicamente desastroso.
Jamais faça massa ou reboco sobre o asfalto ou a calçada. Os restos acabarão em algum bueiro e, depois, em um lago ou rio.
Venda ou dê para quem reaproveite as sobras de reforma ou construção.
Nunca entregue entulho para carrinheiros, caçambeiros ou caminhonetes de aluguel sem a certeza de que eles darão destino adequado aos mesmos.
Uma casa com número fixo, uma profissão e uma cidade limpa.

Chamado de entulho cidadão não seria exagero.

Um forte abraço e até sexta que vem.


*Luiz Eduardo Cheida é médico e deputado estadual eleito. Foi Prefeito de Londrina (1992 – 1996), Secretário de Meio Ambiente do Paraná e Membro titular do CONAMA (2003 – 2006).

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 09 de Dezembro de 2017
09:09
Cassilândia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)