Cassilândia, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

03/02/2014 07:46

Nem placa salva vizinho do chaveiro da chateação de quem tem pressa até para ler

Campo Grande News

Na rua Jordão, no bairro Noroeste, a imagem fala por si. Na esquina, um chaveiro e ao lado, na casa vizinha, que aparenta ser no mesmo terreno, uma placa que já resume a história toda: “o chaveiro não mora aqui”. Um aviso aos navegantes de que não adianta bater palma ou tocar campainha, porque o chaveiro, de fato, não mora na casa do lado.

É só mais uma cena do cotidiano de Campo Grande, mas que vale ser contada, porque apesar da chateação do dia a dia, o vizinho é exemplo que como é bom levar a vida na esportiva. Também fica a dica para quem anda com tanta pressa que não consegue nem sequer ler letras garrafais no portão antes de bater.

A história fica mais engraçada quando a gente passa e de um lado, na fachada da pequena empresa, a placa diz "volto logo" e na outra porta o aviso é quase que complementar: "o chaveiro não mora aqui”

Há um ano e meio, o pedreiro Francisco Pereira de Lima, de 55 anos, tem de falar a mesma coisa inúmeras vezes ao dia. Bem humorado, ele conta que é inquilino do chaveiro que só trabalha na região e mora bem longe dali, no bairro Coronel Antonino.

“Várias vezes me perguntaram: cadê o chaveiro? Ele não mora aquii? Eu falei e ele disse que ia por a placa, porque não tinha hora, nem dia e nem noite. Como na região só tem ele, não tem outra alternativa”, explica Francisco.

O detalhe é que no imóvel onde funciona o chaveiro tem dois telefones celulares que dispensariam qualquer tentativa de ir ao vizinho. Mas, parece que até esta sinalização passa despercebida.

A placa foi colocada há seis meses, escrita à mão em vermelho numa tábua branca e nem assim cliente entende o recado. “A turma chega e pergunta, mesmo com a placa aqui, cadê o chaveiro? Às vezes eu acho que a pessoa não sabe ler”, relata Francisco.

Dia desses, ele resolveu mudar o repertório. Sentado no banco de madeira na varanda, foi parar um carro e perguntar para ele dizer que não sabia de chaveiro algum porque ele próprio não morava ali.

Questionei se com tanto cliente batendo à casa errada, ele nunca pensou em abrir concorrência e virar chaveiro também. “Não compensa, ele tem conhecimento e freguesia, para ele é mais fácil”.

O chaveiro trabalha em horário comercial, no entanto como não tem funcionários, é ele quem sai para atender chamados na vizinhança, desde troca de fechadura, até abrir porta de carro. O Lado B localizou o personagem central da matéria, sem precisar bater à porta de Francisco para saber do chaveiro.

Fernando Janoto de Oliveira, de 39 anos, responde rindo que nunca morou ali. A casa é dele, mas depois de uma reforma, ele alugou uma parte.

Sobre a placa ele não teve saída a não ser tentar, em vão, avisar a freguesia que não mora ali. “Coloquei porque tem muita gente que ia incomodar ele. As pessoas batiam lá”. Isso a gente já sabe. Mas parece que a clientela do chaveiro não.

A placa é escrita à mão em vermelho numa tábua branca e nem assim cliente entende o recado. (Fotos: Simão Nogueira)A placa é escrita à mão em vermelho numa tábua branca e nem assim cliente entende o recado. (Fotos: Simão Nogueira)
Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 09 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)