Cassilândia, Quarta-feira, 30 de Setembro de 2020

Últimas Notícias

26/06/2003 08:35

Na Assembléia projeto sobre dependentes químicos

Assessoria

Campo Grande (MS) - Como contribuição às ações antidrogas promovidas durante todo o este mês no país, em especial no MS, o deputado estadual Pedro Kemp (PT) protocolou ontem, em sessão, projeto "que dispõe sobre a prevenção, o tratamento e os direitos dos usuários de drogas/dependentes químicos".Se aprovada a lei estabelece para o Executivo obrigações que vão desde a disponibilização gratuita e sem constrangimentos, do teste HIV, garantindo o sigilo e o acompanhamento psicológico ao testado, até princípios norteadores das ações de tratamento por parte dos serviços públicos.
Para o deputado, o problema da dependência química deve ser visto dentro do contexto sociocultural e das condições que envolvem seu consumo, sem perder de vista que o paciente usuário de drogas é um cidadão, com direitos e deveres.
Através do projeto que chega à Assembléia, durante a V Semana Nacional Antidrogas , passam a ser direitos fundamentais do usuário de drogas: I - Não sofrer discriminação em campanhas antidrogas; II - o acesso pleno à saúde; III- tratamentos que respeitem sua dignidade, lhe permitam reinserção social, e promovam uma vida livre e responsável; IV - ser informado, em caso de tratamento, de todas as etapas, desconfortos, riscos, efeitos colaterais e benefícios do tratamento; V - apoio psicológico durante e após o tratamento. Com a aprovação da lei o Estado deverá estimular redes intermunicipais de atendimento, combate e prevenção, bem como programas de estudo e pesquisa sobre o uso e dependência de drogas.
O estudo para elaboração do projeto considera dados como o do Levantamento Domiciliar sobre o Uso de Drogas Psicotrópicas no Brasil, em que foram estudadas, 107 cidades com mais de 200 mil habitantes na faixa etária de 12 a 65 anos de idade, e que apresentou resultados como o que apresenta que 19,4% da população pesquisada declarou ter feito uso, alguma vez, de drogas ilícitas, sendo a maconha a mais consumida (6,9%), em segundo aparecendo os solventes (5,8%), seguido dos orexígenos (medicamentos utilizados para estimular o apetite), com 4,3%. A cocaína é consumida por 2,3% da população. "Em diversos momentos as políticas adotadas reforçaram a imagem do usuário de drogas como de excluído e marginalizado. Queremos que o estado considere como política pública a reintegração do dependente às atividades sociais através de um tratamento digno e apropriado", afirma o deputado.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 30 de Setembro de 2020
Terça, 29 de Setembro de 2020
11:00
Corrida/Nutrição/Fitness
Segunda, 28 de Setembro de 2020
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)