Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

15/11/2007 09:28

Município pode criar área de preservação por decreto

Marina Ito

Para criar uma Área de Proteção do Ambiente Cultural (Apac), o Poder Executivo não precisa de lei, bastando se valer de um decreto. A conclusão é do Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro que, por unanimidade, considerou constitucional o Decreto 23.161 da capital fluminense. Através dele, foi criada a Apac de Ipanema, um dos mais valorizados bairros da cidade, restringindo as modificações em alguns edifícios já construídos nesses locais.

O relator do processo, desembargador Sérgio Cavalieri, tomou como base o acórdão que definiu ser constitucional a Apac do bairro de Laranjeiras, também na zona sul da cidade. Segundo ele, o poder público tem como uma de suas atribuições o planejamento das cidades, inclusive programas de proteção e recuperação das áreas urbanas. Cavalieri considerou que a propriedade deve cumprir uma função social e que o município deve atuar para proteger determinadas áreas.

Segundo o Ministério Público, uma lei, e não um decreto, deveria ser a via adequada para se preservar áreas. Segundo a procuradora de Justiça, Marija Rodrigues de Moura, a norma atinge proprietários e moradores das áreas.

Já para o procurador do município, é um equívoco afirmar que o decreto é autônomo, já que há uma legislação prévia. De acordo com ele, uma lei orgânica do município que disciplina as Áreas de Proteção do Ambiente Cultural.

O decreto provocou a indignação dos moradores atingidos, que colocaram faixas de protestos nas fachadas dos prédios. Com a criação da Apac, eles consideram que seus imóveis ficarão desvalorizados, já que terão de obedecer uma série de regras para modificá-los. Mudanças internas são permitidas, mas as fachadas ou a altura de alguns não poderão ser alteradas.

Revista Consultor Jurídico,

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)