Cassilândia, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

22/07/2008 10:47

MT comercializa mais de 2 toneladas de carne de jacaré

24horasnews

Mais de duas toneladas de carne de jacaré mato-grossense foram vendidas na última semana pelo abatedouro de jacaré de Cáceres (225 quilômetros de Cuiabá) para uma distribuidora especializada em carnes exóticas de São Paulo. A Cooperativa de Criadores de Jacaré do Pantanal (Coocrijapan), é a primeira indústria frigorífica que abate jacaré no Brasil e o único criatório dos animais em Mato Grosso. No último mês, a cooperativa ganhou a instalação do Serviço de Inspeção Federal (SIF), que permite a comercialização da carne para outros estados até para outros países.

Entretanto, é a primeira vez que a carne de jacaré da região pantaneira foi comercializada fora de Mato Grosso. De acordo com o presidente da Coocrijapan, Pedro Lacerda, já existe um início de negociação com a China e o Japão que também pretendem comprar a carne de jacaré. A cooperativa é a primeira da América Latina a receber a autorização do SIF com direcionamento para jacaré.

O frigorífico abate cerca de 400 jacarés ao dia. No entanto, três dos maiores criadores estão na região de Cáceres e um no município de Poconé. Conforme Lacerda, Mato Grosso deve ter atualmente pelo menos 500 mil animais. O presidente explica que a comercialização da carne é totalmente legalizada e a atividade auxilia a combater o comércio ilegal. A intenção, segundo ele, é gerar renda alternativa com sustentabilidade ambiental. A Coocrijapan possui 30 cooperados, sendo a maioria pecuaristas da região.

Lacerda ressalta que todo o processo de criação é legalizado junto ao Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis Naturais (Ibama), desde 1990 e, que cada criador devolve a natureza 10% dos ovos postos. "Só soltamos os animais maiores, ou seja, que já tem condições de se defender de predadores. O índice de reposição é maior que da natureza que é de aproximadamente 4%", afirma o presidente.

Cada réptil leva cerca de dois anos e meio para ser abatido e é criado em tanques com temperatura ambiente. Entretanto, o abate de jacarés no Pantanal sempre foi um tema polêmico entre pesquisadores, fazendeiros e ambientalistas.

Especialistas em preservação estudam uma forma de liberar o abate controlado de jacarés no Pantanal que atualmente só é normatizada a criação em cativeiro, a partir de ovos retirados dos ninhos, porém, que os criadores se comprometam em preservar os répteis até o primeiro ano de vida para que em troca possam promover o abate de animais adultos.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 10 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)