Cassilândia, Quinta-feira, 24 de Maio de 2018

Últimas Notícias

18/10/2013 20:00

MPMS vai ajudar municípios de MS a integrar Programa Brasil Transparente da CGU

MPMS

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul, através das Promotorias de Patrimônio Público e Social em Parceria com a Controladoria-Geral da União em MS, vai ajudar os municípios do Estado a integrar o Programa Brasil Transparente, da Controladoria-Geral da União (CGU). Esse programa tem como objetivo auxiliar Estados e Municípios na implementação das medidas de governo transparente previstas na Lei de Acesso à Informação (LAI). Objetiva, ainda, juntar esforços no incremento da transparência pública e na adoção de medidas de governo aberto.

Na sexta-feira (18), o Procurador-Geral de Justiça em exercício, Paulo Alberto de Oliveira, durante reunião no auditório da sede do Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul, recomendou a todos os Promotores de Justiça do MPMS, com atuação na área do Patrimônio Público e Social, a adoção de medidas cabíveis para a implementação do Programa Brasil Transparente.

O Procurador-Geral de Justiça em exercício, Paulo Alberto de Oliveira, disse aos Promotores de Justiça de todo o Estado, que a “corrupção é um fenômeno que afeta negativamente a efetividade das políticas públicas e o crescimento econômico, tanto nos países desenvolvidos como nos países em desenvolvimento. Por esse motivo, o Ministério Público, por evidente vocação constitucional, busca cada vez mais intensificar a luta sistemática contra a corrupção, não apenas com medidas punitivas, mas ampliando as ações preventivas”.

O Procurador de Justiça Antonio Siufi Neto, Corregedor-Geral Substituto do Ministério Público e Coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça do Patrimônio Público e Social, destacou, durante a reunião com os Promotores de Justiça de várias Comarcas do Estado, a importância desse programa de transparência para os municípios de Mato Grosso do Sul.

Segundo Cristiane Mourão Leal Santos, Promotora de Justiça da Capital e Assessora Especial do Procurador-Geral de Justiça, atualmente 21 municípios do Estado já aderiram ao Programa Brasil Transparente, mas ainda faltam muitos e por isso pediu o empenho de todos os Promotores de Justiça de Patrimônio Público e Social para que a Lei de Transparência e a Lei de Acesso à Informação sejam cumpridas no Estado.

Segundo ela, a cobrança de mais transparência nos órgãos públicos tem aumentado em ritmo bastante acelerado nos últimos anos no Brasil por parte da população. A promoção da transparência e do acesso a informação é considerada medida indispensável para o fortalecimento da democracia e para a melhoria da gestão pública, acrescentou.

Janaína Gonçalves Theodoro de Faria, chefe da Controladoria-Geral da União em Mato Grosso do Sul e Rosemary Zucareli Inocêncio, coordenadora do Núcleo de Ações de Prevenção à Corrupção da Controladoria-Geral da União em Mato Grosso do Sul, fizeram uma explanação aos Promotores de Justiça sobre o Programa Brasil Transparente. A CGU/MS fará oficinas técnicas para capacitar servidores dos municípios que aderirem ao programa.

Gratuito

A implantação desse programa nos municípios de Mato Grosso do Sul será possível através do software denominado e-Sic, a ser oferecido gratuitamente, por meio de termo de adesão, pela Controladoria-Geral da União (CGU) aos municípios, de modo a disponibilizar o acesso de informações de interesse público na internet, notadamente em razão da Lei Complementar nº 131, de 27 de maio de 2009 e da Lei Federal 12.527, de 18 de novembro de 2011.

O e-Sic é a ferramenta desenvolvida pela CGU, disponível na internet, que permite a qualquer cidadão, de forma fácil e ágil, solicitar informações aos órgãos públicos.

O Projeto Brasil Transparente busca fomentar a criação e implementação dos Portais de Transparência e de Serviços de Informação ao Cidadão, respectivamente em atendimento a Lei de Transparência e a Lei de Acesso à Informação. Além do mais, o referido projeto objetiva fomentar a transparência pública, aumentando efetivamente a transparência ativa e passiva dos municípios.

Impactos na gestão

Com a aprovação da Lei 12.527/11 (Lei de Acesso à Informação), o Brasil garantiu ao cidadão o acesso amplo a qualquer documento ou informação produzidos ou custodiados pelo Estado que não tenham caráter pessoal e que não estejam protegidos por sigilo. Essa lei produz grandes impactos na gestão pública e exigirá, para sua efetiva implementação, a adoção de uma série de medidas.

O Programa Brasil Transparente oferecerá a Estados e Municípios, capacitação de agentes públicos através de seminários, cursos e treinamentos presenciais e virtuais, sobre transparência, governo aberto e acesso à informação; distribuição de material técnico e disponibilização do código fonte do Sistema Eletrônico do Serviço de Informação ao Cidadão (e-Sic).

A transparência e o acesso à informação estão previstos como direito do cidadão e dever do Estado na nossa Constituição Federal e em diversos normativos, como a Lei de Responsabilidade Fiscal - LRF (Lei Complementar n.º 101/00), a Lei da Transparência (Lei Complementar nº 131/09), e, mais recentemente, a Lei de Acesso à Informação - LAI (Lei nº 12.527/11).

Abertura

Além do Procurador-Geral de Justiça em exercício, Paulo Alberto de Oliveira e da Promotora Cristiane Mourão Leal Santos, Promotora de Justiça da Capital e Assessora Especial do Procurador-Geral de Justiça, integraram a Mesa de Trabalhos, o Procurador de Justiça Antonio Siufi Neto, Corregedor-Geral Substituto do Ministério Público e Coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça do Patrimônio Público e Social e a senhora Janaína Gonçalves Theodoro de Faria, chefe da Controladoria-Geral da União em Mato Grosso do Sul.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 24 de Maio de 2018
Quarta, 23 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Terça, 22 de Maio de 2018
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)