Cassilândia, Sábado, 27 de Maio de 2017

Últimas Notícias

14/05/2008 15:31

Ministros querem reduzir acidentes de trabalho

AgPrev

O ministro da Previdência Social, Luiz Marinho, da Saúde, José Gomes Temporão, e do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, assinaram hoje (13) portaria instituindo uma comissão tripartite – formada por governo, trabalhadores e empresários – encarregada de definir estratégias e um plano de ação para reduzir o número de acidentes e doenças do trabalho no país. “A comissão irá contribuir significativamente para fortalecer o Plano Nacional de Segurança e Saúde do Trabalhador”, afirmou Marinho.

Na mesma solenidade, o Ministério da Previdência Social firmou dois acordos de cooperação técnica. Um, com o Ministério da Saúde, visa integrar as ações de reabilitação profissional de trabalhadores que são vítimas de acidentes do trabalho. O outro, com o Ministério da Educação, prevê a inclusão nos cursos profissionalizantes de informações sobre saúde e segurança no trabalho.

“Não queremos mais lamentar tragédias diárias que afetam terrivelmente as vidas de milhares de famílias brasileiras”, afirmou Marinho, acrescentando que este é o primeiro passo para a ampliação e a construção de novas e mais modernas políticas públicas na área de saúde e segurança do trabalho. O ministro da Previdência informou que, em 2006, ocorreram no Brasil 503.890 acidentes do trabalho, que resultaram na morte de mais de 2,7 mil trabalhadores e a incapacitação permanente de 8,3 mil pessoas.

“Por trás de cada número há um trabalhador, uma trabalhadora, e seus filhos também são vitimados pela tragédia. São pedros, marias, joaquins e julianas que esperam que paremos de contar perdas tão dolorosas e passemos à ação”, comentou. Os números são alarmantes: a cada três horas, um trabalhador morre vítima de acidente de trabalho. Isso sem contar os casos ocorridos no chamado mercado informal, cujos trabalhadores não têm a proteção da Previdência Social.

“É uma situação que impõe a todos nós – governo, empresários e trabalhadores – uma ação efetiva para criar as condições para se implantar no País a cultura da prevenção, do ambiente seguro de trabalho”, afirmou. É esse o objetivo da comissão tripartite, que vai revisar e ampliar a proposta de Política Nacional de Segurança e Saúde do Trabalhador, propor o aperfeiçoamento do sistema nacional de segurança e saúde no trabalho, elaborar um plano nacional de segurança no trabalho. Com essas ações, o Brasil atende as diretrizes da Organização Internacional do Trabalho e do Plano de Ação Global em Saúde do Trabalhador, aprovado em maio de 2007 pela Assembléia Mundial de Saúde.

Ação articulada – O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, ressaltou que as questões relacionadas com saúde e trabalho passaram a ser vistas, nos últimos anos, de forma integrada entre os diversos órgãos públicos. O Ministério da Saúde, por exemplo, já implantou 161 centros de atenção à saúde do trabalhador e planeja criar mais 140. “É preciso um trabalho integrado e articulado para reduzir os riscos e proteger o trabalhador”, afirmou Temporão.

Para o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, a comissão “vai permitir aprofundar as discussões”, porque terá a participação de todas as partes interessadas. “A comissão vai fazer com que o trabalhador tenha consciência da importância da prevenção”, disse. O trabalho conjunto vai se reverter em “benefício de milhões de brasileiros”, comentou o secretário de Educação Tecnológica, Eliezer Pacheco, que representou o ministro da Educação, Fernando Haddad.

Além do drama para os trabalhadores e seus familiares, Marinho ressaltou que acidentes e doenças do trabalho custam, por ano, R$ 10,7 bilhões aos cofres da Previdência Social, que paga auxílio-doença, auxílio-acidente, aposentadorias e outros benefícios. A área de saúde também um gasto significativo, com atendimento médico, internações e reabilitação, informou Temporão.

A estimativa é que o Brasil perca anualmente R$ 42 bilhões em decorrência de acidentes e doenças do trabalho, incluindo nessa conta os gastos da Previdência, Saúde e os custos para o setor privado. “São recursos que poderiam ser utilizados para promover o bem-estar, a distribuição de renda e a produtividade”, disse Marinho, que lembrou que o Governo já vem adotando medidas para melhorar a prevenção. Em abril do ano passado, por exemplo, foi implantado o Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário (NTEP), que permite aos médicos peritos do INSS identificar doenças ocupacionais a partir da correlação entre a doença e a atividade profissional.

Em 11 meses de aplicação do NTEP, a concessão de auxílios-doença por acidente de trabalho aumentou 134%, o que indica que grande número de acidentes não era comunicado à Previdência. Com o nexo técnico, o governo terá dados sobre a situação real do país. Esses dados serão usados, futuramente, para definir a alíquota de contribuição de cada empresa ao Seguro de Acidente de Trabalho (SAT): a empresa com maior número de acidentes será penalizada com uma alíquota maior, a partir do próximo ano, quando entra em vigor o Fator Acidentário de Prevenção (FAP). Já a que investir em prevenção terá a alíquota reduzida em até a metade.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 27 de Maio de 2017
Sexta, 26 de Maio de 2017
10:01
Cassilândia
10:00
Receita do Dia
Quinta, 25 de Maio de 2017
13:00
Dicas de segurança
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)