Cassilândia, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

30/10/2007 16:46

Militar era amigo de médico e queria roubar veículos

Aline Queiroz e Nadyenka Castro/Campo Grande News

Jéferson Lopes Kommers, 21 anos, o soldado desertor do Exército Brasileiro foragido e apontado como autor do assassinato do cardiologista Leandro de Carvalho Pereira, 42 anos, era amigo da vítima e planejava, juntamente com o outro soldado desertor, Marciano Ajala Ferreira, 23 anos, roubar os dois veículos importados do médico: um carro Mercedes Benz e uma caminhonete Pajero. Ele teve prisão preventiva decretada, já Ferreira está preso desde 19 de outubro, quando foi detido em Corumbá, pela apropriação indébita de uma motocicleta que havia locado e não devolveu.

Com o plano frustrado, os autores executaram a vítima com dez tiros de pistola e fugiram com a motocicleta Suzuki de mil cilindradas, que foi vendida na Bolívia por R$ 3,5 mil. Na ocasião em que foi preso pelo DOF (Departamento de Operações Especiais), ele revelou que havia sido contactado por Kommers para vender a moto na Bolívia.

Ele foi levado à Defurv (Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos), onde foi submetido a exame de impressão digital e, como percebeu que seria identificado, confessou também o envolvimento direto no assassinato.

O militar revelou que conheceu Kommers no período em que esteve preso no CMO (Comando Militar do Oeste). Kommers era amigo do médico havia seis meses e, por esse motivo, tinha acesso fácil à casa.

O crime- Em 11 de outubro, data do crime, o dois chegaram à casa do cardiologista, no Jardim dos Estados, em Campo Grande, e tocaram a campainha. Eles entraram na residência, tomaram cervejas com o médico, começaram a discutir e anunciaram o assalto, movimentação que teria durado cerca de cinco minutos.

Os soldados tentaram algemar Pereira, que reagiu e correu para a frente da casa. Ferreira confessa ter efetuado cinco disparos contra o médico e os outros teriam sido efetuados por Kommers. Após a execução, eles fugiram na moto da vítima, uma Suzuki de mil cilindradas que estava ligada porque o médico estava de saída quando os autores chegaram. Pereira tinha por hábito deixar a motocicleta ligada instantes antes de sair.

De acordo com a Polícia Civil, Ferreira também era considerado foragido porque tinha mandado de prisão em aberto por crime de estelionato. Ele tem antecedente por furto e também teria envolvimento com esquemas de arrastadores de veículos, que eram levados para a Bolívia. Já o foragido Kommers, além de ser desertor do Exército, tinha passagem criminal por roubo.

O CMO esclareceu ontem que pelo crime militar de deserção, os soldados foram presos em agosto ou setembro deste ano. Eles estavam no CMO e conseguiram escapar em 3 de outubro, quando serraram as grades da cela, passaram por uma agência bancária e chegaram ao pátio. Uma sindicância já foi instaurada para apurar as circunstâncias em que a fuga ocorreu.

O CMO esclarece que os soldados já não cumpriam função militar e que Ferreira não era considerado um soldado “engajado”, ou seja, ele apenas cumpria o serviço obrigatório e ainda não tinha completado um ano de serviço militar. O Comando não liberou o soldado para apresentação na tarde desta terça-feira, segundo disse em entrevista coletiva o delegado responsável pelo caso, Geraldo Marin.

O telefone para quem tiver o paradeiro do foragido é 3901.1860 ou 3901-1866.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
09:00
Maternidade
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)