Cassilândia, Quarta-feira, 26 de Abril de 2017

Últimas Notícias

05/02/2016 10:15

Menina engole bateria e fica 31 horas internada para expelir objeto

Campo Grande News
Menina engole bateria e fica 31 horas internada para expelir objeto

Uma criança de 5 anos ficou internada por aproximadamente 31 horas no HR (Hospital Regional), em Campo Grande, após engolir uma bateria de controle remoto. Lara Izabely Ribas expeliu naturalmente o objeto e ontem (4), E recebeu alta às 21 horas.

Ela engoliu a bateria na quarta-feira (3), e foi levada pela família para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Coronel Antonino, por volta das 14 horas. O pai da menina, Cleiton Lopes, 30 anos, afirma que um exame de raio-x confirmou que a bateria estava no aparelho digestivo da criança. Em seguida a criança foi encaminhada para o HR, onde ficou internada.

“Ela foi bem atendida, fizeram outro raio-x no hospital e nos foi informado que era necessário esperar, porque já estava no intestino e não tinha mais como tirar por endoscopia. Ontem (4) de manhã outra médica viu o exame e falou que estava no estômago ainda, mas aí já não dava para fazer a retirada porque a Lara comeu para poder expelir. O procedimento só pode ser feito em jejum. Foi um desencontro e tivemos falta de informação”, explica.

Lopes relata que a principal preocupação era em relação ao risco da bateria estourar no organismo da menina. “Ela foi encaminhada com urgência por conta do risco de estourar. É uma bomba relógio, ainda bem que não aconteceu nada pior”, afirmou.

A SES (Secretaria de Estado de Saúde), que administra o HR, informou que ontem (4) a bateria tinha migrado para o intestino e não havia risco de rompimento, por isso os médicos decidiram aguardar que fosse expelida naturalmente. A SES confirmou que a menina tinha sido alimentada e por isso a endoscopia para retirada da bateria não foi feita, já que o exame só pode ser realizado quando o paciente está em jejum.

O médico pediatra Walter Jeffery Neto, alerta para o risco de crianças engolirem qualquer tipo de objeto. “É necessário que os pais tenham cuidado. Se a bateria saiu sem estourar não dá problema algum. Mas poderia ser outro objeto ou produtos químicos, tóxicos e remédios. O risco é muito grande”.

Ele afirma que o cuidado deve ser constante especialmente com objetos pontiagudos e fogo. “Tudo que pode ficar ao alcance das crianças deve ser monitorado. Inclusive no caso de baterias se houver liberação de substâncias tóxicas as complicações pode ser sérias”, finalizou o médico.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 26 de Abril de 2017
Terça, 25 de Abril de 2017
Segunda, 24 de Abril de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)