Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

08/09/2008 16:51

Manoel Afonso: candidato & currículo & bula de remédio

Manoel Afonso

Você achava que já tinha visto tudo e a cada eleição fica “encantado” com tanto besteirol inserido no horário eleitoral gratuito. Isso sem contar com a criatividade dos pretendentes na tentativa do reconhecimento público e de um lugar ao sol. Claro que o saudoso doutor Enéas teve o mérito da conquista, mas o problema é que acabou virando modelo para muitos desavisados e não há vagas para todos eles, nos hospitais psiquiátricos inclusive.
Quando se trata deste “festival de ousadias”, mais do que nunca, o Brasil é um só. As diferenças ficam restritas ao sotaque e as formulas adotadas pelos candidatos em função da realidade regional. Se o candidato nordestino escreve seu nome no jegue, está lançando mão dos recursos que dispõe. Pobre animal.
Se candidato tem que ter currículo está resolvida a questão. Os candidatos ricos contratam os préstimos dos marqueteiros que num passe de mágica fornecem o receituário completo, com direito a biografia enriquecida, fotos retocadas no computador, frase de efeito e um programa de ação de encher os olhos. Alguns candidatos até se surpreendem e chegam a duvidar do que bolaram para sua campanha: “Nossa! Será que sou tudo isso?”
E, diga-se de passagem: esses marqueteiros são fabulosos – caíram do céu – transformam demônios em anjos e movimentam milhões de reais. Como se diz: Sem eles, a exemplo das pesquisas, as eleições seriam sem graça e baratas.
Currículo é mais ou menos como nossas gloriosas bulas de remédios. Os pontos positivos são priorizados e multiplicados. Vale como ilustração o caso do professor Jorge Daud Simão, candidato em São José do Rio Preto (SP), que inseriu no seu currículo a participação no “Curso Valita”, destinado ao aprimoramento na culinária. Se fosse hoje poderia ser interpretado como um eventual defensor da pizza na política.
Freqüentemente a caixa postal de nossas casas está lotada de santinhos, adesivos e outros materiais. As surpresas não param! Pessoas despreparadas são tocadas pela magia da “mosca azul” e atravessam o sinal do bom senso. Seria o caso de alguém perguntar: mas em campanha eleitoral existe o tal senso de ridículo.
Se o currículo de candidato é igual bula, é cabível questionar na hora da escolha: será que contém os ingredientes que curam nossos males? Se esse remédio não é bom, é apelidado (no comercio de medicamentos) de B.O, que significa “Bolso de Otário”. Neste caso o otário poderá ser você.


Manoel Afonso
Comentarista da TV.Record-MS

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 10 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)