Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

30/09/2013 07:08

Longe de tudo e de todos, grupo tenta acabar com anorexia sexual e social

Paula Maciulevicius, Campo Grande News
O grupo que discute os pontos extremos da dependência do amor e do sexo se baseia nos 12 passos do AA.O grupo que discute os pontos extremos da dependência do amor e do sexo se baseia nos 12 passos do AA.

 

De repente você pega um papel, passa os olhos, e se vê diante de uma enxurrada de ‘sim’. Passa longos períodos sem se envolver num relacionamento amoroso e sexual? Sem atividades sociais? Fica deslocado em grupos? Tem medo de ser notado? Evita relacionamentos com o sexo oposto ou com o próprio sexo? Quando está em um relacionamento, percebe que por um longo tempo não experimentou o romance, a sexualidade, intimidade, ou amizade?

Longe de querer dar um diagnóstico, mas são perguntas que abrem uma caixa de sentimentos onde ninguém sabe o tamanho, a profundidade e nem o que se esconde dentro dela.

Foi mais ou menos assim que a advogada de 48 anos percebeu, ou melhor, admitiu para si, que sofria de anorexia emocional. “Eu conhecia a anorexia de alimento, não de relacionamento”. A dificuldade começava desde tocar as pessoas. Um abraço ou aperto de mão então era do que ela mais queria fugir. Na igreja, contava os minutos entre o término do sermão, até o pastor se dirigir à porta para cumprimentar o público. Ela saía antes que tivesse de passar por isso. “Coloquei um blindex. Não me relaciono, não nutro, não crio laços. Passei a me autoboicotar. E se ele só quiser isso? Então eu fui lá e falei, além de me levar para cama, o que mais você quer?”

Na contramão de quem vive o drama da compulsão pelo sexo, há os que se encaixam em outra dependência. Como uma desordem alimentar, definida pela maneira compulsiva de evitar comida, no amor e no sexo, a anorexia é a compulsão em evitar o dar e o receber. Onde se diz não para a nutrição social, sexual e emocional. A doença atinge muito mais gente do que se pode contabilizar. Não é só aquele tímido do grupo, pode também estar lá dentro da alma de quem vive rodeado de amigos.

O anoréxico não é só quem se abstém. Ele pode estar sem um relacionamento há anos, ou viver um com o dilema de não estar junto emocionalmente. As vítimas se mantêm longe de experimentar o amor ou fazem de tudo para não entrar no campo sinistro que tende a ser a intimidade. Uma das causas pode estar no medo da rejeição.

No automático, ele não faz, não acredita, não se compromete e nem se entrega. Faz do medo da intimidade uma atitude constante. É a recusa de se permitir. E para levar isso adiante, se utiliza do autoboicote como ferramenta.

“Tenho medo de me doar. É medo da rejeição, então eu nem me doo. Eu não entro em um relacionamento profundo, eu fico nas bordas. Emocionalmente eu estou fechada e foi difícil entender que eu era impotente nas minhas emoções”.

O relato é da companheira de 54 anos, vinda de São Paulo. Neste final de semana, ela esteve no Dasa, grupo de Dependentes de Amor e Sexo Anônimos de Campo Grande, para explicar que a anorexia também é uma dependência.

“A compulsão e a anorexia não são opostos. Os dois derivam as mesmas emoções não preenchidas, quando a nossa mente pensa se eu for por aqui, eu chego na dor, pelo excesso ou pela anorexia”.

Há 7 anos no Dasa ela desmistifica o termo e joga na roda o que já passou pela nossa cabeça, o que coloquialmente, damos o nome de paranoia. “Nunca me achei suficiente para alguém e nem merecedor de relacionamentos. Você pensa vai que eu gosto dele e ele me rejeita? Então eu vou rejeitar primeiro. Eu crio um blindex, eu me distancio para me proteger”.

O grupo que discute os pontos extremos da dependência do amor e do sexo se baseia no programa de recuperação em 12 passos do AA. Começa e termina com a oração da serenidade e numa sala de 40 pessoas, o que se ouve e se fala ficam restrito aquelas quatro paredes.

A terapia segue os chamados cinco recursos básicos para por um basta às consequências que a dependência nos submete: sobriedade, apadrinhamento e reuniões, passos, serviço e espiritualidade.

O primeiro passo é de admitir para si. “Admitimos que éramos impotentes perante a Dependência de Amor e Sexo - que tínhamos perdido o domínio sobre nossas vidas”.

Num trabalho de 12, o passo final é a missão que cada um passa a ter de levar os ensinamentos para todos os campos. “ Tendo experimentado um despertar espiritual, graças a esses passos, procuramos transmitir esta mensagem aos dependentes de amor e sexo e praticar estes princípios em todas as áreas de nossas vidas”.

O Dasa se reúne todos os sábados, às 17h30 na rua Maracaju, 136.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Dezembro de 2017
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)