Cassilândia, Terça-feira, 21 de Fevereiro de 2017

Últimas Notícias

29/09/2006 10:45

Leia Amplavisão, por Manoel Afonso

Manoel Afonso

NA MESA. A sinalização ocorreu na campanha: André não quer atritos e esquecerá a herança petista. Quer sim maioria na Assembléia e um Secretariado que represente tendências diversas. Conhece o caminho das pedras.

ANDRÉ. Sabe que em política é preciso aprender a conviver com tudo e todos. Não chegou até aqui por acaso. Na divisão do bolo terá a faca que vai definir o tamanho das fatias para tanta gente em volta a sua mesa.

RESTOS. A cada eleição alegrias e lagrimas. A experiência mostra: a vitória depende mais de um conjunto de fatores do que propriamente da capacidade do candidato. Nem sempre ganha o melhor candidato.

REFLEXÃO. O ser humano adora holofotes e o poder proporciona isso. Quem está entrando precisa saber: é transitório. Quem está saindo deve ter cabeça boa para não entrar em parafuso. O ostracismo é fogo!

OSMAR DUTRA. Se até as eleições do TC em novembro, não estiver definido o substituto de Franklin, só 6 Conselheiros votarão e no embate com Cícero, Osmar pode levar vantagem por ser mais velho.

“A TCHURMA”. Valdemar Costa Neto, João Paulo, Collor, Genoino, José Mentor, Palocci e Maluf, dentre tantas figurinhas ilustres, carimbando o passaporte para Brasília. Volto a indagar: e esse país tem jeito?

MOKA. Justiça seja feita! O único candidato que sempre pediu votos para Alckmin, além de criticar o PT. Faltou engajamento de outras lideranças que ignoraram a disputa pelo Planalto. Estratégia ou incoerência?

SIMONE. Além de competência, o político precisa de sorte. A notícia da vinda da fabrica de papel era o gol que os antecessores tentaram e não conseguiram. Três Lagoas começa a ganhar forma diferenciada.

MEMÓRIA. “No Brasil é assim: quando um pobre rouba vai para a cadeia. Quando um rico rouba – vira ministro”. Declaração de Lula em 1989 à “Folha”. Advertência pura e simples ou programa de Governo do PT?

LÁ FORA. Andrew Fastow, ex-diretor da Enron pegou 6 anos; Bernard Ebbers, ex-presidente da WorldCom levou 25 anos de cadeia também por fraude. Condenações de fazer inveja a todos deste país da impunidade.

NA INTERNET. O deputado Luiz Grenhalgh já teria faturado 900 milhões de reais e poderia ganhar mais dois bilhões de honorários nos processos indenizatórios das vítimas
da Ditadura Militar. Sem dúvida: homem de sorte!

OAB-ELEIÇÕES. A entidade precisa sim cuidar mais dos interesses dos advogados.
O que se vê: os dirigentes da entidade transvertidos de guardiões da sociedade, mas de olho nos seus interesses pessoais. Sacou?

PAVÕES? Os dirigentes da OAB sonham com o poder, quer através das urnas ou pela indicação aos tribunais. A entidade virou trampolim de projeto pessoal sob o falso mote de defender a classe e a cidadania.

EXEMPLO. Enquanto o pessoal da OA olhava para o próprio umbigo, o Congresso alterava lei do CPC outorgando ao Juiz a prerrogativa de fixar livremente os honorários aos advogados, que ficaram reféns da Magistratura.

LEITOR da coluna pergunta se o nível de debate na Assembléia vai melhorar na próxima legislatura. Tenho dúvidas, se levar em conta a biografia dos candidatos e suas propostas nos folhetos e no programa eleitoral.

O DEBATE que o leitor cita não se resume apenas ao desempenho na tribuna. É o conjunto de ações, desde os pareceres e relatorias que devem expressar o preparo do deputado e não de seu assessor parlamentar.

NA TRIBUNA. Discursos ao vento, de improviso, demagógicos, em nada melhoram o nível do parlamento. Pronunciamentos devem ser elaborados, enriquecidos com dados técnicos, citações e linguagem compreensível.

OBRAS & OBRAS. Interessante: já há um divisor entre as obras de Nelsinho e de André. Em cada canto uma frente de obras, fruto da sintonia entre a administração e os conselhos da comunidade, eleitos pelos moradores.

INOVAÇÃO. Os Conselhos têm papel importante na avaliação das prioridades de cada comunidade. O morador não pode ficar esperando os melhoramentos cair do céu. Outras cidades estão seguindo o exemplo da capital.

“NERVOS DE AÇO”. Quem leu garante: as 375 páginas do livro de Roberto Jefferson
mostram as entranhas sujas do poder nos últimos 10 anos. Cita episódios e nomes não contados à imprensa. Sucesso garantido de venda.

DO LEITOR. Ficamos reféns do noticiário das TVs. e dos números suspeitos das pesquisas, “em nome da transparência e pureza dos votos”. Por trás de tudo isso muita manipulação num grande jogo de interesses.

E A REFORMA? Um dia talvez. Depende de quem estiver no poder. A tendência é que na próxima eleição tenhamos mais um pacote de leis esdrúxulas como ocorreu agora. Só urna eletrônica não resolve o caso.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 21 de Fevereiro de 2017
Segunda, 20 de Fevereiro de 2017
Domingo, 19 de Fevereiro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 18 de Fevereiro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)