Cassilândia, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

08/08/2013 07:29

Justiça nega anulação de multa ambiental aplicada a proprietário rural

TJMS
Justiça nega anulação de multa ambiental aplicada a proprietário rural

Sentença homologada pelo Juizado Especial de Fazenda Pública de Campo Grande julgou improcedente a ação movida por B.A.B contra o Instituto de Meio Ambiente do Estado. No processo, o autor buscava a anulação de uma multa ambiental recebida por queimada em fazenda.

Narra o autor da ação que no dia 23 de agosto de 2010 foi autuado por ter queimado área agropastoril de sua propriedade rural, sendo aplicada multa no valor de R$ 12.600,00. Com isso, ele entrou com recurso administrativo, que foi improvido.

B.A.B disse, ainda, que não utilizou fogo na área de pastagem e que não pretendia utilizar qualquer prática de queimada, sendo que a situação ocorrida não passou de um lamentável acidente.

Desta forma, pediu a anulação da infração, uma vez que os fatos não se referem a um desrespeito contra ao meio ambiente, ou que a multa que recebeu fosse diminuída para um salário mínimo.

Conforme sentença homologada, “analisando as provas trazidas com a inicial, conclui-se pela inexistência de elementos com força probante suficiente para desconstituir o auto de infração, considerando que o autor não produziu prova de suas alegações”. Dessa maneira, foi julgado improcedente o pedido do autor para que a multa recebida seja anulada.

Além disso, em relação ao ato administrativo, é possível analisar que cabia ao requerente comprovar a existência de algum vício capaz de anular a infração que foi aplicada a ele, e que as provas apresentadas não foram suficientes para afastar a veracidade do auto de infração feito pelo fiscal do Instituto do Meio Ambiente.

Por fim, o pedido de diminuição do valor da multa para um salário mínimo também foi julgada improcedente, uma vez que, mesmo o requerente tendo alegado que a infração recebida está em desacordo com a sua situação financeira, é possível observar que ele “novamente deixou de fazer prova, tanto do alegado baixo grau de instrução/escolaridade, quanto de sua situação econômica”.

Processo nº 0809037-52.2012.12.0110

Autor da notícia: Secretaria de Comunicação Social

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)