Cassilândia, Sexta-feira, 22 de Setembro de 2017

Últimas Notícias

28/04/2004 10:51

José Ancelmo é elogiado por vereadores

Luis Junot

Durante o 3º Encontro Estadual de Câmaras e Vereadores de MS, realizado em Corumbá na semana passada, os participantes destacaram a postura adotada pelo Tribunal de Contas, na administração José Ancelmo dos Santos. De acordo com o presidente da Assocamsul – Associação Estadual das Câmaras e Vereadores de MS, Eulo Jarí Ferreira de Souza “o Tribunal, através de seu presidente e conselheiros passaram a adotar uma nova postura de parceria com as Prefeituras e Câmaras Municipais, que vem refletindo diretamente na melhoria dos serviços praticados pelos órgãos jurisdicionados”.
Segundo ele, através das orientações e esclarecimentos de dúvidas nos Encontros promovidos pelo TCEMS, nossos funcionários estão sendo qualificados, corrigem os erros e as contas são aprovadas. “Quem ganha com isso é a população, que passa a ser informada onde e como está sendo gasto o dinheiro arrecadado com impostos”, frisa.
De 22 a 24 de Abril, vereadores de Mato Grosso do Sul participaram do evento obtendo mais informações através de palestras, para aprimorar o seu conhecimento no cargo, em especial quanto às exigências contidas na Lei de Responsabilidade Fiscal em final de mandato. A solenidade de abertura contou ainda com apresentação do grupo Oficina de Dança da Fundação de Cultura do Pantanal de Corumbá.
O Tribunal de Contas participou com temas de interesse das Câmaras; o auditor de Controle Externo, Marcílio Arnaldo de Alencar falou sobre a Emenda Constitucional nº 25 e o Artigo 42 da Lei de Responsabilidade Fiscal – Restos a pagar. A ouvidora, Márcia Cristina Kirchesch falou sobre as funções e o papel da Ouvidoria. O 3º Encontro contou também com a participação do juiz auxiliar do Tribunal de Justiça, Dorival Renato Pavan, que fez uma palestra sobre a Lei Eleitoral; e a questão dos Cargos Eletivos e a Previdência Social foram debatidas por técnico do INSS.
Além da distribuição de material informativo sobre a Ouvidoria, Márcia Cristina informou que de acordo com dados estatísticos da ABO – Associação Brasileira de Ouvidores/Ombudsman, a cada uma reclamação formalizada representa uma proporção de 150 pessoas que efetivamente tinham a intenção de efetuar, mas não a fizeram por algum motivo, sejam eles: falta de tempo, falta de informações de como proceder, ou até mesmo de não dispor de instrumentos (computador, telefone, fax). Quando se trata de um elogio a proporção é de um registro para 1.500, ou seja, todas essas pessoas sentiram-se satisfeitas com a prestação dos serviços, mas apenas uma se dispôs a elogiar. Ela acrescentou que a população ainda não adquiriu o hábito de procurar os órgãos competentes para exercer o seu direito, mesmo quando para tirar dúvidas apenas. “É para isso que existem as Ouvidorias”, enfatizou.
A Ouvidoria do Tribunal de Contas do Estado (TCE/MS) conta com um sistema de recebimento de denúncias e sugestões através de uma linha telefônica gratuita, o Disk Ouvidoria: 0800-6472266 ou pelo Fax: (67) 362-1244. O órgão atende também pelo telefone 361-2032 Ramal 264 ou ainda, pela internet, através do site www.tce.ms.gov.br.
O artigo 5º da Resolução Normativa TC/MS nº 050/2003, que regulamentou o funcionamento da Ouvidoria do TCE, prevê que informações recebidas poderão ser classificadas previamente em denúncia, reclamação, crítica ou sugestão. Durante o evento, Márcia Cristina explicou que a informação poderá ser recebida na forma de denúncia quando for apresentada formalmente por escrito, em via original, trazendo a identificação e endereço do autor. Preferencialmente a denúncia deve vir acompanhada, se possível, de prova ou indício concernente à ilegalidade ou irregularidade objeto da denúncia, e ainda, com indicação das pessoas que possam ser ouvidas a respeito, quando for o caso.
A informação será classificada como reclamação quando contiver indícios de danos ao erário; apontar para ilegalidade de despesa pública; sua averiguação for considerada dever do Tribunal; implicar na quebra da legalidade, legitimidade ou economicidade da despesa pública; ou ainda, quando relacionada aos atos, ações e omissões de funcionários do Tribunal no desempenho de suas funções.
Segundo Márcia Cristina o assunto será considerado crítica ou sugestão quando for relacionado ao desempenho das atividades do Tribunal, sendo utilizado como parâmetro a qualidade e eficiência dos serviços prestados a seus jurisdicionados. De acordo com o regulamento será garantido a todos os usuários o retorno das providências adotadas a partir de sua intervenção e dos resultados alcançados, salvo quando não houver identificação do autor. Também está assegurado o sigilo da autoria sempre que solicitado ou quando necessário, garantindo a todos os informantes um caráter de discrição e de fidedignidade ao que lhe for transmitido.
Os serviços tanto protegem o cidadão, quanto resguardam a Administração das críticas injustas e acusações infundadas. Qualquer cidadão, partido político, associação ou sindicato é parte legítima para denunciar irregularidades ou ilegalidades perante o Tribunal de Contas, contra agentes, órgãos ou entidades da administração pública direta e indireta, incluídas as fundações e sociedades instituídas e/ou mantidas pelos Poderes Públicos do Estado ou dos Municípios. Finalizando, ela informou ainda que a identificação fica a critério de cada cidadão. “O único problema é que a Ouvidoria não poderá informá-lo a respeito do resultado de sua intervenção. Caso resolva identificar-se, a Ouvidoria garante sigilo absoluto”.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 22 de Setembro de 2017
Quinta, 21 de Setembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)