Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

07/10/2007 09:24

Incêndio mata três crianças da mesma família

Thiago Itacaramby/Diário Regional

Três crianças da mesma família foram mortas em um incêndio dentro de uma barraco onde moravam, no acampamento Dom Osório, dentro da fazenda Boa Esperança, localizado 50 km de Campo Verde (143 km de Rondonópolis/MT). Segundo informações da Polícia Civil do Município vizinho, a tragédia teria sido causada por uma lamparina que teria caído de dentro do quarto onde as crianças dormiam. No momento, a mãe das crianças, Juliana Vieira da Silva, estava na casa de uma vizinha. O fato ocorreu por volta das 19h de sexta-feira (5).

Juliana teve 50% do corpo queimado, após tentativa de socorrer as crianças. Por conta das chamas e da falta de estrutura no local, a mãe não conseguiu salvar os filhos. Segundo informações, o acampamento não possui energia elétrica e nem água encanada.

O investigador da Polícia Civil, Divino Nogueira, informou que os primeiros socorros prestados à mãe das crianças foram prestados no Hospital Municipal Coração de Jesus, de Campo Verde. Em seguida, ela foi transferida para o Hospital Regional de Rondonópolis. Juliana encontra-se na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), o estado de saúde dela, até o fechamento da edição, era considerado grave.

De acordo com o agente da Polícia Civil, os corpos das crianças foram levados para o Instituto Médico Legal (IML) do Município. Os corpos, que foram carbonizados, são de Renan Carlos Bastos da Silva (1), Luan Carlos Bastos da Silva (3) e Daniele Cristina Bastos da Silva (4). Ainda segundo o investigador de polícia, foi realizada uma perícia técnica pelo departamento da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) de Rondonópolis.

A polícia descarta a hipótese de que o fogo teria sido provocado por uma faísca, por conta de queimadas na região. “Neste caso foi imprudência da própria mãe em colocar a lamparina em lugares de riscos”, afirmou. O investigador disse que assim que Juliana receber alta deverá ser ouvida para esclarecer os fatos.

“O fogo destruiu praticamente todo o barraco”, disse o pai das crianças, Alisson Bassos de Oliveira, que acompanhava a situação da esposa, ontem, no Hospital Regional. Ele não estava em casa no momento da tragédia. “Eu estava trabalhando”, informou. Ele é operador de máquina em uma algodoeira em Campo Verde.

“Tenho que preocupar agora é com a minha esposa”, disse emocionado, ao lembrar da perda dos três filhos. Ele tentava a transferência da esposa para a capital do Estado para receber tratamento específico. “A minha família é toda de Cuiabá”, disse ele.

Ele revelou que a sua esposa colocava a lamparina diariamente no meio do quarto, em cima de uma mesa improvisada. Oliveira disse que a casa era composta de dois compartimentos, o quarto e a cozinha apenas. A estrutura do telhado era coberta com folhas de coqueiro e lona.

No local há cerca de 550 famílias do Movimento dos Trabalhadores Acampados (MTA). Eles estão divididos em dois grupos. O acampamento está fica 50 km de Campo Verde e possui nenhuma infra-estrutura entre os habitantes. Integrantes do MTA bloquearam no início da semana, BR-364, entre a Serra da Petrovina, no município de Pedra Preta, no Sul do Estado. Os manifestantes cobram mais agilidade do Incra nos processos de reforma agrária e vistoria de algumas áreas.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Dezembro de 2017
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)