Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

06/05/2008 18:51

Hospitais: Caixa financia equipamentos de radioterapia

Agência Saúde

Hospitais e unidades que prestam serviços de média e alta complexidade ao Sistema Único de Saúde (SUS) na área da oncologia vão dispor de uma linha de crédito inédita junto à Caixa Econômica Federal (CEF), que deverá ser destinada à compra de equipamentos de radioterapia. A demanda da Associação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Combate ao Câncer (Abificc) foi ratificada no Conselho Consultivo do Instituto Nacional de Câncer, INCA (Consinca). O setor da radioterapia é uma das prioridades do Mais Saúde, Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para a área da Saúde.



Desde o final de 2006, a secretaria de Atenção à Saúde (SAS) do Ministério da Saúde vem se articulando para obter o financiamento junto à Caixa. Os hospitais que tratam de câncer no SUS, na maioria, filantrópicos, são responsáveis por 50% dos atendimentos. Em alguns, o equipamento de radioterapia já ultrapassou o tempo de vida útil: “A validade desses aparelhos e de seus complementos é, em média, de cinco anos. Sem manutenção ou reposição de peças, eles podem parar, prejudicando a assistência à população”, explica Joselito Pedrosa, coordenador geral de Alta Complexidade da SAS.



Com a linha de crédito, o processo de compra vai ficar mais ágil e os equipamentos poderão ser substituídos ou sofrer manutenção sem que o atendimento aos pacientes seja interrompido. Outras vantagens são a obtenção de taxas abaixo do mercado e o maior poder de barganha frente aos fornecedores. O coordenador geral da SAS acredita que a ação vai gerar movimento nesse mercado: “outros bancos e fundos de investimentos podem ser estimulados a financiar o setor da saúde”, destacou.



Os hospitais interessados deverão negociar diretamente com a Caixa. As regras e orientações serão definidas por meio de um termo de cooperação entre a CEF e o Ministério da Saúde que se encontra em análise do Fundo Nacional de Saúde. O valor do crédito será vinculado à produção de serviços, mas as prestações não podem ultrapassar 30% do faturamento mensal para não inviabilizar a administração da unidade. Além disso, a primeira prestação só será paga pelo hospital depois de uma carência de seis meses.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)