Cassilândia, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

09/03/2006 14:23

Funcionários do BC discutem paralisação na próxima 2ª

Stênio Ribeiro/ABr

Os funcionários do Banco Central realizam assembléia no início da tarde de amanhã (10), em frente ao edifício-sede do banco, para discutir possível adesão à greve já anunciada para a próxima segunda-feira (13) pelas assembléias realizadas nas regionais de São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Porto Alegre e Curitiba.

A informação é do presidente do Sindicato Nacional dos Servidores do BC (Sinal), David Falcão, adiantando que existe indicativo de greve, por causa do "desrespeito" ao compromisso assumido pela diretoria do banco, em outubro do ano passado, de conceder reajuste de 6% em janeiro deste ano e 4% em junho.

Ele disse que até hoje nada foi pago e o projeto-de-lei que encaminharia o pleito, junto com os de outras categorias, sequer foi enviado ao Congresso pelo Gabinete Civil da Presidência da República. "(Por esse motivo), resolvemos convocar os funcionários para cobrar o que nos é devido". As regionais de Belo Horizonte, Recife e Fortaleza também farão assembléias amanhã para votar a greve, acrescentou.

David Falcão afirmou que os funcionários do BC querem garantir o cumprimento do acordo fechado com o governo, que pôs fim a uma paralisação de 33 dias, que consistia no envio imediato de projeto-de-lei ao Congresso para viabilizar o reajuste de 10%, em duas parcelas. "Não recebemos nada até agora, e não podemos aceitar pacificamente a quebra de compromisso", enfatizou o dirigente sindical.

A diretoria do BC não quis se manifestar sobre o estado de greve de seus funcionários, que, de acordo com David Falcão, começou ontem mesmo, por São Paulo, onde 60% dos 780 servidores da sucursal do BC cruzaram os braços, antecipando o movimento. Mas, a assessoria de imprensa do banco afirmou, no final da manhã, que não dispunha de informações a respeito.

Falcão disse que alguns serviços do banco poderão ser prejudicados durante a paralisação. Principalmente se for demorada, como no ano passado. Segundo ele, "toda greve traz algum desconforto", mas ressalvou que "temos responsabilidade suficiente para não prejudicar o cidadão, que não tem culpa de o governo não cumprir a palavra empenhada".

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)