Cassilândia, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

22/04/2008 08:40

Fisiologista aponta prejuízos com episódio de gás

Juca Pacheco/SPFC

Com experiência de 25 anos trabalhando no clube, o fisiologista Turíbio Leite de Barros apontou alguns impactos diretos causados na equipe tricolor devido ao episódio ocorrido no vestiário do São Paulo, no Estádio Palestra Itália, quando gás não identificado foi atirado misteriosamente, obrigando os jogadores do elenco, comissão técnica e diretoria, a evacuarem o local.

"Não era gás pimenta, mas outro com efeito tóxico. O que importa era o efeito que ele tinha. O mais grave era a insuficiência respiratória. Você não consegue trocar oxigênio quando sente isso. A gente teve de sair rápido e foi o que atenuou o caso", explicou o fisiologista, acrescentando ainda os prejuízos causados a equipe.

"Os jogadores não tiveram os 15 minutos de descanso conforme rege o regulamento da competição. Isso é de um enorme prejuízo para equipe", disse.

Além do descanso, Turíbio aponta outros aspectos que influenciaram diretamente no desempenho do tricolor no segundo tempo da partida contra o Palmeiras, no último domingo.

"Além do descanso, não houve uma hidratação devida, nem reposição de sais minerais conforme planejado. Sem contar a aplicação de gelo nos jogadores que se queixam de dores", emendou.

Turíbio ainda ressaltou que o prejuízo são-paulino não foi apenas físico. Mais do que isso, ele lembrou que o técnico Muricy Ramalho não pôde dar suas instruções aos jogadores com a mesma condição do adversário.

"Já apontei inúmeros problemas físicos que esse acontecimento nos trouxe. Mais grave ainda foi não dar a condição ao técnico Muricy Ramalho fazer as alterações e as orientações necessárias para o ajuste da equipe para o segundo tempo", declarou.

Muricy foi a pessoa da delegação mais atingida pelo gás, tanto é que teve refluxos no intervalo e durante o segundo tempo. Além disso, dentro do campo (ainda mais em estádio adversário) não é o ambiente correto para uma devida preleção com os jogadores.

"Em 25 anos de profissão, foi a primeira vez que eu vi isso acontecer. Já fomos em tudo quanto é estádio, inclusive nos que dizem que a pressão é maior, como o Moisés Lucarelli (estádio da Ponte Preta), São Januário (Vasco) e muitos outros no exterior. Só espero que as providências sejam tomadas, porque um caso desse merece atenção, e não somente que o fato seja noticiado. Isso não pode ficar impune. Agora eu entendo porque o Palmeiras queria tanto jogar lá, e porque as pessoas de bom senso eram contra", disse Turíbio, indignado.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)