Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

15/03/2013 17:21

Falatórios e torpedos que têm tirado o sono em Mato Grosso do Sul

Bruna Girotto

Não bastasse o Maníaco da Cruz solto por aí, nesta semana ataques atribuídos à facção criminosa acabaram com a paz em Campo Grande. E como ninguém perde a chance de bancar o bem informado, mais rápido do que bandido, o que chega é o boato.

Segundo a boca do povo, o Maníaco da Cruz já passou por toda a região de fronteira, de Ponta Porã a Paranhos. Por onde passou a fofoca, o alarde tirou o sono da população. Tudo mentira, podem ter certeza.

Pelo tour em tempo recorde, não deve ter parado um dia sequer em qualquer cidade, porque ontem mesmo já estava em Campo Grande, dizem por aí. “Minha cunhada falou que falaram para ela que o Maníaco está lá no Nova Lima. Ela é professora e está com muito medo porque vai de ônibus e para uma quadra e meia de casa”, conta a diarista Fátima da Silva.

Ela mora e trabalha na região do bairro Coronel Antonino, mas nem por isso está tranquila. “Vai que eu topo com ele na rua. Não vou saber reconhecer. Eu heim”.

No Facebook, há um cartaz com a imagem assustadora do Maníaco, e gente dizendo, inclusive, que viu o rapaz na praça do Estrela do Sul e que agora ele estaria no Jardim Imperial, com uma mochila preta nas costas. Já foram mais de 2 mil visualizações só de um dos posts com a imagem. Por mais engraçado que pareça, tem gente que acredita e já rendeu ligações assustadas à redação do Campo Grande News.

Para a Polícia, fofoca vira tormento. Nesse e em tantos outros casos, a conversa fiada só atrapalha. Sem contar os trotes com pistas furadas.

Não bastasse um jovem maluco que matava as pessoas “impuras” e deixava como símbolo o sinal da cruz, agora alguém resolveu colocar fogo em carros e motos pela cidade. O suficiente para "tocar o terror".

E hoje o ataque é virtual. A mulherada de Campo Grande começou a receber via celular mensagens ameaçadoras. São vários textos, sem assinatura e de origens diferentes. "Para mim chegou a informação que alguém disse para uma pessoa que é parente de policial e que o PCC ia atacar as mulheres", conta Terezinha Brands.

Ela comentou com a amiga que também recebeu mensagem semelhante, mas que falava de ataques na porta das escolas e só sabe dizer neste momento que acha tudo muito estranho. "Nunca vi bandido anunciar que vai cometer um crime. Mas também, tem de ser muito desocupado para ficar mandando mensagem assim para os outros. Ou então, são aqueles presos do presídio que não tem o que fazer".

Para Polícia, isso é sim, conversa de desocupado.

Mas o Lado B ligou para o número que começou com as mensagens e a mulher que atendeu a ligação disse que é prima de uma delegada da Polícia Federal e por isso resolveu avisar todos os contatos dela sobre os "perigos" de sair pela cidade. A mulher, que organiza festas na cidade, explica que não "queria prejudicar ninguém. Só pensei em deixar todo mundo alerta e mandei para todos os meus contatos. Uma deve ter passado para a outra."

O falatório é tão grande, tem deixado todo mundo tão maluco, que no dia do primeiro ataque, moradores do Nova Lima ligaram para os bombeiros falando de outro incêndio criminoso e, na verdade, a fumaça vista no bairro era o dono do mercado borrifando inseticida.

Hoje, uma bolsa de criança perdida no shopping Campo Grande, rendeu até denúncia de "bomba". No fim, era só uma mãe esquecida que deixou a bolsa enquanto levava o filho para brincar com a Galinha Pintadinha.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 10 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)