Cassilândia, Segunda-feira, 20 de Fevereiro de 2017

Últimas Notícias

26/02/2007 10:08

Ex-prefeito não têm direito a foro especial

STJ

O ex-prefeito de Cachoeiro de Itapemerim (ES), José Tasso de Oliveira Andrade, acusado de improbidade administrativa não tem direito a foro especial, segundo decisão da Primeira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Os ministros, seguindo o voto do relator Teori Albino Zavascki, decidiram contra o recurso interposto pelo político, que reivindicava foro privilegiado baseando-se na Lei nº 10.628, de 2002, que modificou o artigo 84 do Código de Processo Penal.

Em 1996, quando ainda era prefeito de Cachoeiro, José Tasso assinou convênio com o Ministério da Educação para a construção da Escola Técnica Federal. A obra foi colocada sobre responsabilidade da autarquia SAAE (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) e a empresa escolhida para sua edificação foi a Contrutora Akyo Ltda.

O Ministério Público do Espírito Santo identificou uma série de irregularidades na obra, como repasse indevido de grandes verbas e superfaturamento. O Ministério Público (MP) também afirmou que a SAAE não seria o órgão adequado para administrá-la. Além disso, vários outros contratos, como a instalação de iluminação pública e a reforma de um calçadão realizadas pela autarquia, apresentariam irregularidades, indicando que ela estaria sendo usada para desvios de verbas. Na subseqüente ação civil pública, o MP acusou José Tasso e outros membros da prefeitura de Cachoeiro de improbidade administrativa, baseando-se nos artigos 9, inciso II, 10 e 11, inciso I, da Lei de Improbidade Administrativa (Lei nº 8.429, de 1992).

A 2ª Vara dos Feitos da Fazenda Pública Estadual de Cachoeiro, para a qual o processo foi inicialmente encaminhado, declinou de sua competência para o Tribunal de Justiça do Espírito Santo. Em seu recurso, a defesa do réu alegou que a Lei nº 10.628 garantiria foro privilegiado mesmo após o fim das atividades na administração pública e que o caso deveria ser julgado na 2ª Vara da Fazenda Pública do município. O MP estadual alegou que haveria duas ações de declaração de inconstitucionalidade (ADI) no Supremo Tribunal Federal (STF) contra essa lei.

O Ministério Público Federal deu parecer contra o recurso, já que as ADIs foram julgadas no STF e a lei foi considerada constitucional. No seu voto, o ministro Zavascki ressaltou que a decisão do STF resolveu completamente a controvérsia sobre a matéria. Ele destacou que não há foro privilegiado após o fim da função pública e que não é possível estender tal foro por prerrogativa de função, aplicado em processos penais, às ações de improbidade administrativa. Com esses fundamentos, o ministro negou provimento ao recurso especial.



Autor(a):Fabrício Azevedo

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 20 de Fevereiro de 2017
Domingo, 19 de Fevereiro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 18 de Fevereiro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)