Cassilândia, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

30/09/2006 08:46

Ex-piloto de F1 teve negado recurso no STJ

STJ

O empresário e ex-piloto de Fórmula 1 Emerson Fittipaldi teve negado recurso no Superior Tribunal de Justiça (STJ) pelo qual pretendia rediscutir a ocorrência de desvalorização de uma propriedade sua, bem como os lucros cessantes relativos à produção futura de laranjas, conseqüentes da instalação de uma estação de tratamento de esgotos na área rural da cidade de Araraquara (SP). A Primeira Turma do STJ considerou que a decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ/SP) foi fundamentada e baseou-se na livre apreciação da prova, já que o juiz não está restrito ao laudo pericial para formar sua convicção.

Cerca de 41 hectares de uma fazenda de Fittipaldi foram desapropriados com fim de utilidade pública, para instalação de uma estação de tratamento de esgoto. A área representava 2,36% do total da propriedade. Na ação de desapropriação, o TJ/SP considerou imprestável o laudo pericial por omissões e erros técnicos e determinou a nomeação de outro perito judicial para elaboração de novo laudo, para avaliação do imóvel e de diversos outros itens que comporiam a indenização.

O acórdão (decisão colegiada) do TJ/SP considerou que a instalação de dutos subterrâneos não impediria o uso intensivo da terra, não havendo prejuízo à plantação de laranjeiras. Também, as mudas plantadas após a decretação da desapropriação dariam direito à indenização, conforme o acórdão. Assim, para o TJ/SP, não houve desvalorização da área remanescente nem lucros cessantes relativos à produção cítrica futura. Para reverter esses dois pontos, o empresário ingressou no STJ com recurso. Alegou que a conclusão a que chegou o Tribunal estadual ofenderia a “coisa julgada”, já que alterou pontos da sentença acerca dos quais não houve recurso.

A coisa julgada torna imutável e indiscutível a sentença, não mais sujeita a recurso. Ocorre que, seguindo voto da relatora, ministra Denise Arruda, a Primeira Turma entendeu que as razões que levaram à realização de uma nova perícia não fazem coisa julgada. Ainda para a relatora, não é possível ao STJ acolher a pretensão de Fittipaldi de aumentar o valor da indenização fixada, já que provas teriam de ser reexaminadas. A decisão da Primeira Turma foi unânime.


Autor(a): Sheila Messerschmidt

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
03:14
Loteria
Terça, 06 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
09:00
Maternidade
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
21:32
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)