Cassilândia, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

27/05/2004 10:57

Evolução do PIB per capita registra queda de 1,5%

Agência Brasil

O aumento da riqueza de uma nação não significará melhoria na qualidade de vida da população se esse aumento não for bem distribuído. Alguns indicadores apontam como essa distribuição é feita. Um deles, resulta da divisão do total da riqueza gerada no país em um determinado período – em três meses, por exemplo – pelo número total de habitantes. O resultado dessa divisão é chamado de PIB (Produto Interno Bruto) per capita, que pode ser traduzido, ao pé da letra, como riqueza por cabeça.

No gráfico a seguir é apresentada a evolução deste resultado para o período que vai de 1974 a 2003, calculado em percentagem, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Pelos números do gráfico acima pode-se concluir que a riqueza distribuída por habitante diminuiu 1,5% no ano de 2003, basicamente em decorrência de dois fatores. Segundo o cálculo da riqueza total produzida no ano de 2003 pelo IBGE, ela diminuiu 0,2%. Outros cálculos, efetuados por diferentes métodos que corrigem os valores pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA, apurado pelo IBGE), apontam que essa queda seria de 1,9%. E mais outros, corrigindo os valores pelo Índice Geral de Preços Disponibilidade Interna (IGP-DI, da Fundação Getúlio Vargas), revelam uma queda da ordem de 8,4%.

Com o aumento do número total da população brasileira a uma taxa de 2,2% ao ano, a riqueza nacional precisaria crescer, no mínimo, na mesma velocidade para que as pessoas, teoricamente, mantivessem seus empregos e sua renda.

Salários

Um número talvez mais importante do que a renda per capita é o indicador que reflete a participação dos salários no montante total da riqueza nacional (PIB), por se tratar da parte desta riqueza que é efetivamente distribuída para os trabalhadores. Pessoas com mais de 50 anos de idade podem sentir isso na qualidade de vida delas. Em 1964, os salários constituíam 62,3% da riqueza nacional. De lá para cá esse percentual vem caindo: em 1990, para 45,4%; em 2000, para 37,2%; e em 2003, para 31,5%.

As informações são do Núcleo de Pesquisa da Agência Brasil

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 12 de Dezembro de 2017
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)