Cassilândia, Segunda-feira, 21 de Maio de 2018

Últimas Notícias

19/02/2005 09:34

Em protesto, pecuaristas decidem reduzir abate de gado

Aline Rocha/Campo Grande News

Pecuaristas e entidades pertencentes ao Fórum Nacional de Pecuária de Corte da CNA (Confederação Nacional de Agricultura e Pecuária), que participaram na tarde de ontem de uma reunião em Goiânia sobre a suposta formação de cartel entre os cinco maiores frigoríficos do País, decidiram em forma de protesto, reduzir o abate de gado pelos próximos trinta dias.
De acordo com o presidente do Sindicato Rural de Campo Grande, Rodolfo Vaz de Carvalho, que participou das reuniões locais sobre o assunto, os pecuaristas e as entidades levaram até o encontro as indignações diante da situação, dos preços e pediram atitudes. Além do protesto de redução no abate de gado, o Fórum decidiu ainda que vão formalizar junto ao Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) um pedido de fiscalização e averiguação da existência de cartel entre os frigoríficos.
Ficou decidido ainda que serão criadas centrais de vendas nos estados. Carvalho explica que as entidades devem organizar uma forma de administrar a oferta de venda do animal aos frigoríficos. “Queremos aumentar o volume ofertado e com isso elevar o poder de barganha do produtor rural”, revela.
Segundo Carvalho, as formas de comercialização serão mantidas. O protesto de redução do abate, segundo Carvalho, é imediato. Os pecuaristas de todos os municípios serão informados da decisão através dos sindicatos rurais e entidades do setor. “A medida atende o clamor do próprio produtor, que já vinha tendo prejuízos. Não é paralisação total, mas uma forma de pressão para tentar reduzir esses prejuízos. É a arma que os produtores têm de mostrar a indignação”, explica.
A orientação aos produtores é que não deixem de cumprir os compromissos com o abate, mas sim reduzam ao máximo os trabalhos. Segundo o presidente do Sindicato Rural de Campo Grande, alguns frigoríficos já procuraram os pecuaristas para negociação. “Estamos abertos ao diálogo, mas o protesto será mantido”, finaliza.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 21 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Domingo, 20 de Maio de 2018
15:18
Cassilândia/Itajá
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)