Cassilândia, Terça-feira, 19 de Março de 2019

Últimas Notícias

15/01/2008 09:03

Elite acredita que dinheiro e felicidade andam juntos

Agência do Rádio

Dinheiro traz felicidade? Uma pesquisa do Instituto IP2, de Curitiba, mostra que a elite brasileira acredita que sim. Esse grupo de pessoas representa 6% da população e faz parte de famílias com renda superior a R$ 6,5 mil. O levantamento incluiu 2,4 mil brasileiros de diferentes níveis sociais. Quinhentos e vinte e seis eram da classe A: 91% dos que fazem parte dessa classe responderam de forma positiva à pergunta. O diretor do Instituto IP2, Marcelo Peruzzo, diz que, geralmente, quem acredita que o dinheiro não está associado a uma vida feliz não faz parte da elite.

"A pergunta era: 'Qual o seu grau de felicidade? Totalmente feliz, feliz, indiferente, infeliz, ou muito infeliz. Quem fala que rico não é feliz, é tido um elemento que não faz parte da elite, mas eu nunca vi um rico falar que é infeliz."

De acordo com Peruzzo, ter um bom relacionamento com pessoas da classe A pode trazer benefícios para a área profissional porque, entre os entrevistados, 33% eram donos de algum tipo de negócio. Mas, na opinião do presidente da Associação Brasileira de Qualidade de Vida, Alberto Ogata, o problema é que as pessoas confundem o prazer de ter dinheiro com o sentimento da felicidade.


"Se sabe que a renda pode trazer mais bem-estar até um certo nível e durante um certo tempo. A partir do memento em que você preenche determinadas necessidades ou tem determinada renda, o nível de percepção de felicidade não aumenta. E aí tem muitos estudos de economia, por exemplo, daqueles ganhadores de loteria e que depois de um ano o nível de percepção do bem-estar de felicidade volta ao nível anterior: é que as pessoas confundem um pouco a questão de prazer e felicidade."

Alberto Ogata esclarece ainda que os bens materiais são responsáveis por, no máximo, 20% da percepção de felicidade. Segundo ele, 50% desse total tem a ver com a visão genética e adquirida através da convivência com a família, enquanto 40% pode estar associado à maneira como cada um lida com os fatos do cotidiano. O especialista enumera três fatores que determinam a percepção da felicidade: o grau de otimismo em relação ao futuro, o emprego da gentileza nas relações e a compaixão. Segundo ele, esses elementos seriam mais importantes que o dinheiro para a melhoraria da qualidade de vida.

De Brasília, Leilane Alves

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Março de 2019
Domingo, 17 de Março de 2019
09:00
Santo do dia
Sábado, 16 de Março de 2019
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)