Cassilândia, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

16/08/2004 15:18

Educação lúdica pode ajudar no combate à hipovitaminose

Agência Notisa

A deficiência nutricional de vitamina A pode causar infecção, anemia, enfraquecimento da estrutura óssea, prejuízo do crescimento, cegueira e até a morte. Estima-se que milhares de crianças no mundo apresentam hipovitaminose A, causada, principalmente, pelo desmame precoce e também pela pobreza e desinformação, que levam a um consumo insuficiente dos alimentos fontes dessa vitamina, que seriam “verduras e legumes de cor verde escura, a cenoura, a batata baroa, abóbora, manga, mamão, ovos e fígado”, de acordo com o site Feeding Minds, Fighting Hunger. Por isso, a educação nutricional torna-se medida fundamental para o esclarecimento das crianças sobre a importância do consumo da vitamina A, devendo ser iniciada já na pré-escola, como mostram Walnéia de Souza e Olinda Maria Vilas Boas, do Centro Universitário Federal de Minas Gerais.

De acordo com artigo publicado, em 2004, na revista Ciência & Saúde Coletiva (vol.9, no.1), “na escola, os professores têm condições de pôr em marcha programas de educação nutricional, promovendo, em nível escolar e familiar, a produção e o consumo de alimentos de origem animal e vegetais ricos em vitamina A”. Para o estudo, realizado entre abril e outubro de 1997, na Escola Municipal Orlando Paulino da Costa, no município de Alfenas (MG), as pesquisadoras selecionaram duas turmas da 3a série do ensino fundamental, cujos alunos tinham idade entre 9 e 14 anos, a maioria residente da zona rural e de baixa situação socioeconômica.

Inicialmente, as crianças responderam a um questionário que avaliava, entre outras questões, seu conhecimento sobre a hipovitaminose A. Depois, cada turma foi submetida a um tipo de técnica de aprendizagem: uma delas leu uma história infantil que falava sobre a doença, e a outra assistiu a um teatro de fantoches. Um mês depois, as crianças responderam a um questionário semelhante ao primeiro. As respostas foram comparadas.

Segundo Walnéia e Olinda, o conhecimento das crianças acerca da doença, de suas causas, conseqüências e prevenção aumentou muito após a aplicação das técnicas de aprendizagem. Para se ter uma idéia, enquanto no primeiro questionário apenas 40% sabiam responder o que significava hipovitaminose A, no segundo, a porcentagem chegou a 76% das que assistiram ao teatro. De acordo com as pesquisadoras, ambas as técnicas contribuíram para aumentar os conhecimentos das crianças sobre a doença: “as observações de relatos de histórias e teatro são técnicas que facilitam o exercício da decodificação de imagens, utilizadas com o objetivo de estimular a descrição de fatos e acontecimentos seqüenciais, possibilitando a associação de causa e efeito”.

No entanto, elas observaram que, mesmo tendo conhecimento sobre as formas de prevenir a hipovitaminose A, as crianças ainda se alimentam de forma inadequada. Por isso, elas sugerem que, além de reforçar a educação nutricional através de campanhas que atinjam toda a comunidade, sejam feitas intervenções dietéticas, através da administração de vitamina A, seja na escola ou na casa das crianças.

Agência Notisa (jornalismo científico - scientific journalism)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
03:14
Loteria
Terça, 06 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
09:00
Maternidade
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)