Cassilândia, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

03/10/2005 16:22

Diabéticos desconhecem principal causa de cegueira

Agência Notisa

A retinopatia diabética é a principal causa de cegueira em pacientes diabéticos. Para se ter uma idéia, estudos mostram que, após 15 anos de diabetes, a prevalência de retinopatia entre os portadores dependentes de insulina é de 97% e, entre os não dependentes, de 80%. Apesar disso, muitos pacientes desconhecem a doença, sua gravidade e o tratamento a laser. Isso é o que mostram pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas, em um estudo realizado com 299 diabéticos.

Os pacientes foram submetidos a um questionário e a exames de fundo de olho. De acordo com artigo publicado na edição de maio/junho de 2005 dos Arquivos Brasileiros de Oftalmologia, “o estudo teve o objetivo de identificar conhecimentos e opiniões de um grupo de diabéticos referentes à retinopatia diabética e seu tratamento, a fim de fornecer informações que possam contribuir para implementar e/ou aperfeiçoar programas e ações preventivas e de controle dessa afecção ocular”.

Os pesquisadores observaram que mais da metade dos entrevistados desconhecia a gravidade da própria doença ocular ou consideravam-na sem gravidade. “Esse fato evidencia a necessidade de programa de prevenção de retinopatia, visando a esclarecer a população a respeito da importância e utilidade das ações preventivas referentes à retinopatia diabética”, ressaltam no artigo.

Além disso, a equipe verificou que 32,4% dos pacientes declaram não saber da existência de cirurgia ou laser para tratamento de retinopatia diabética. Entre os que não procuraram tratamento, a principal razão apontada foi a de não sentir necessidade. Muitos disseram ainda que tinham medo de realizar o tratamento: “o sentimento predominante de medo do tratamento reforça a idéia de que caberia aos serviços responsáveis pelo encaminhamento ao tratamento esclarecer que dificuldades iniciais são compensadas por manutenção por mais tempo de níveis adequados de visão e que a acuidade visual atual não é indício seguro de ausência de retinopatia, ou seja, não assegura manutenção da visão por prazos mais longos”.

Os pesquisadores também apontam a necessidade de os endocrinologistas e clínicos gerais serem submetidos a treinamento formal de oftalmologia. Segundo eles, “os clínicos gerais, endocrinologistas ou médicos de família, não estão preparados para o importante papel de primeiros triadores de saúde visual que o sistema atual de saúde requer. Isto não é surpresa, pelo fato de que poucos desses médicos receberam treino formal de oftalmologia como parte de sua educação médica ou programa de residência”.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 12 de Dezembro de 2017
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)