Cassilândia, Domingo, 25 de Junho de 2017

Últimas Notícias

01/10/2009 08:06

Dia Internacional do Idoso: há o que comemorar?

Agência Brasil

Brasília - Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que a população de idosos no Brasil vem aumentando. Em 2008, havia mais de 21 milhões de pessoas com mais de 60 anos de idade, aproximadamente 2 milhões a mais do que no ano anterior.

Hoje (1º) é comemorado o Dia Internacional do Idoso. A data foi instituída com a intenção de mostrar a importância e as dificuldades que essas pessoas enfrentam rotineiramente. Problemas como falta de meios de transporte adequados e o precário atendimento hospitalar na saúde pública são as principais queixas de quem chegou à terceira idade.

Para saber deles as principais dificuldades enfrentadas nas tarefas do dia a dia, a Agência Brasil foi às ruas conversar com alguns idosos.

“Eu acho que os maiores problemas são a saúde e o transporte. É preciso haver uma condição de transportes condizente com a terceira idade”, disse o fiscal do Tesouro aposentado Willian de Souza, de 69 anos.

Para a dona de casa Elza Maria, de 65 anos, a maior dificuldade é entrar nos ônibus. "O degrau é lá nas alturas. A gente tem quase que andar com um banquinho para subir. E outra dificuldade, é atendimento nos hospitais. A melhor conquista do idoso, nem sei direito o que é. Mas, o restante a gente vai levando.”

A aposentada Dora Ribeiro, de 67 anos diz que os idosos tiveram algumas conquistas. "Nós temos muitas coisas que melhoraram como as filas preferenciais para idosos, pois são mais reduzidas. E certas tarifas que para o idoso são menores. Então não é tão ruim assim ser idoso."

"A gente pega o ônibus, o cara que está lá pilotando arranca com tudo. Se a pessoa não tiver equilíbrio 'sobra'. Outra coisa, é ficar no ponto do ônibus fazendo sinal e ele não parar. Quanto ao direito do idoso, deixa muito a desejar", contestou o servidor público aposentado, Valter dos Santos, 69 anos.

A comerciante aposentada Salam Qozak, de 81 anos, nasceu na Síria e se diz que se preocupa com aqueles mais pobres."Eu posso andar de táxi, e ter acompanhante. E os outros que não tem ninguém? Esse privilégio conquistei quando ainda era jovem. Mas quem não conseguiu e ficou velho, me conta?"




Edição: Talita Cavalcante

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 25 de Junho de 2017
Sábado, 24 de Junho de 2017
23:07
Loteria
Sexta, 23 de Junho de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)