Cassilândia, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

02/04/2015 17:37

Deu no Facebook: homenagem póstuma a Yunes Mahfouz

Rogério Tenório

Quando jovens temos a sensação de que o mundo é todo nosso, que temos todo o tempo e que teremos todas as oportunidades para viver intensamente e fazermos tudo aquilo que quisermos.


O tempo passa, as contingências da vida vão chegando e descobrimos que as coisas não funcionam exatamente como pensávamos. Em nome da garantia de sobrevivência, da segurança da família, de uma estabilidade questionável vamos podando nossos sonhos, limitando nossos horizontes, até descobrirmos meio que na marra que, como dizia Exúpery, o essencial é invisível aos olhos.


Somos lentamente lapidados pela vida a ponto de entendermos que cada dia é uma benção; que o simples nascer do sol já é motivo mais que suficiente para se celebrar (mesmo que intimamente com uma breve prece de gratidão); que de nada adianta conquistar o mundo se não tivermos ao nosso lado, na nossa intimidade, pessoas que nos amam de verdade, pelo que somos, despidos de tudo o que porventura pudermos oferecer; que cada momento ao lado dos nossos entes queridos é um presente de Deus, uma oportunidade de crescimento, de aprimoramento enquanto seres espirituais, afinal, como apregoa a Bíblia: o homem com o homem se fia.


E é justamente sobre essa oportunidade de nos "fiarmos" que quero me debruçar. Ao longo da vida vamos construindo relacionamentos sem percebermos, no auge da nossa ingenuidade juvenil, que a construção desses relacionamentos é, no fundo, a nossa própria construção enquanto espíritos eternos; que somos a soma desses encontros e a subtração dos desencontros. Exatamente por isso nos apequenamos toda vez que alguém que fez parte de nossa história parte. Não partimos de uma vez, por mais que a morte, muitas vezes, chegue de maneira abrupta, estúpida, inexplicável. Morremos um pouco toda vez que alguém que fez parte de nossa história se vai, a menos que a internalizemos em nós, que deixemos que sua chama, sua essência, continue a viver em nós até no dia que nossa própria chama se apague.


Vá em paz, Younes Mahfouz, sua família e amigos nunca te esquecerão!

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
09:00
Maternidade
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)