Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

22/12/2008 16:31

Descartada queda no preço da gasolina em curto prazo

Nielmar de Oliveira , ABr

Rio de Janeiro - O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, afastou hoje (22) a possibilidade de queda no preço da gasolina no mercado interno em curto prazo, por causa da queda no preço do barril do petróleo no mercado externo, como chegou a ser cogitado em alguns setores do governo.

Segundo Gabrielli a política da empresa é a mesma de seis anos atrás de não repassar para o mercado interno as oscilações do preço do barril de petróleo no mercado externo.

“Nossa reposta a essa pergunta é a mesma de seis anos atrás: O Copom [Comitê de Política Monetária] já disse que nós não falamos de juros, e o que se espera é o que o Banco Central também não fale sobre o preço da gasolina”, afirmou Gabrielli, referindo-se à ata da última reunião Copom, que previu retração no preço da gasolina no próximo ano.

O presidente da Petrobras explicou que, nos últimos seis anos, a empresa procurou manter uma relação dos preços interno e externo do barril do petróleo no longo prazo. “Não passamos no curto prazo as variações [oscilações] de curto prazo para o mercado brasileiro. Há seis anos, dizemos a mesma coisa.”

Ele ressaltou que não é possível saber com exatidão quais serão as variações do preço da gasolina no mercado externo, assim como a do câmbio até julho do próximo ano. “Se hoje a previsão do mercado é de que o petróleo vai variar até julho 25% para mais, quanto vai variar o câmbio até lá? Ninguém sabe. Conseqüentemente, estão aí duas variáveis cujo comportamento não está claro: câmbio e preço internacional da gasolina. Então, por que nós vamos alterar hoje? Não tem por quê.”

Gabrielli lembrou que, quando o petróleo foi a US$ 140 o barril, a Petrobras, da mesma forma, não alterou o preço no Brasil. Segundo ele, é essa incerteza quanto ao mercado futuro do petróleo e dos derivados que leva a empresa a manter sua posição. “Não temos clareza de quanto será o preço da gasolina no mercado externo daqui a seis meses e não sabemos qual será a taxa de câmbio. Então, precisamos observar um pouco mais para ajustar o preço de longo prazo no Brasil.”


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)