Cassilândia, Terça-feira, 21 de Novembro de 2017

Últimas Notícias

18/12/2013 12:38

dentificação de corpos de vítimas da tragédia pode levar dois meses

Edivaldo Bitencourt, Campo Grande News

A identificação dos corpos da maioria das vítimas da tragédia na BR-267, ocorrida às 3h de ontem (18), pode levar de um a dois meses, segundo o coordenador geral de Perícias do Estado, Nelson Firmino Júnior. Dos 12 mortos na colisão da Van, de Três Lagoas, com uma carreta carregada com carne, oito ficaram totalmente carbonizados e só irão ser identificados por meio de exame de DNA.

De acordo com Firmino Júnior, oito corpos foram localizados e devem ser encaminhados para o IMOL (Instituto Médico e Odontológico Legal) de Campo Grande. Peritos vão coletar material genético dos corpos e de parentes para identificá-los.

Algumas pessoas tiveram o corpo calcinado no acidente, já que a Van e a carreta pegaram fogo após a colisão. Neste caso, o fogo destruiu todo o tecido muscular e as vísceras das vítimas. “Exame de osso é difícil, no caso de queima, é extremamente difícil”, admitiu. “Houve uma queima intensa”, contou.

Mais de 24 horas após o acidente, os peritos continuam no local do acidente tentando resgatar vestígios de corpos entre as ferragens dos dois veículos envolvidos na tragédia. Somente após a conclusão dos trabalhos, os corpos serão encaminhados para o IMOL de Campo Grande.

Este é um dos motivos da divergência sobre o número de mortos na tragédia. Inicialmente, foram confirmadas 11 mortes. No entanto, ontem à tarde, foram divulgados 12 nomes.

Identificação de corpos de vítimas da tragédia pode levar dois meses
Somente três pessoas tiveram os corpos liberados para velório ontem: o motorista da carreta, Miguel Benites Meireles, 38 anos, e os comerciantes Adilson Rodrigues de Souza, 45, e Antonio Pereira Carneiro.

Em entrevista ao site Perfil News, o agente da Defesa Civil de Três Lagoas, Paulo Renato Penharbel, já foram coletados material genético das famílias de quatro pessoas em Nova Andradina: Aline Queiróz Ferreira, Maria Marlene de Andrade, Douglas Alexandre Ferreira e Rafael Moraes da Silva.

Familiares de outras quatro pessoas, Samuel Fernandes, Renato Macedo de Araújo, Fabiano Bastos Malaquias e Ching Ling, vão viajar a Campo Grande para a coleta de material para o exame de DNA.

A esposa Ching Ling, Heloísa, e o filho de seis anos vão vir à Capital para colaborar com as investigações.
A vice-governadora Simone Tebet (PMDB) informou, por meio da assessoria de imprensa, que pediu, informalmente, agilidade na coleta do material e liberação dos corpos.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 21 de Novembro de 2017
Segunda, 20 de Novembro de 2017
Domingo, 19 de Novembro de 2017
11:00
Mundo Fitness
Sábado, 18 de Novembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)