Cassilândia, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

21/09/2004 07:57

Dados de CPMI podem ter sido vazados fora do Congresso

Agência Câmara

O presidente do Congresso Nacional, José Sarney, afirmou nesta segunda-feira que já há informações de que os documentos encaminhados à CPMI do Banestado por autoridades norte-americanas não foram entregues exclusivamente ao Congresso Nacional. "O senador Romeu Tuma, que, como corregedor da casa, já está tratando do assunto, me disse, em primeira mão, que já tem informações de que os documentos que foram vazados não foram entregues somente ao Congresso Nacional. Isso abre o leque para uma investigação mais ampla".
A reunião para discutir o vazamento de informações da CPMI do Banestado só deve ocorrer em outubro, após o primeiro turno das eleições municipais. O presidente do Congresso, Senador José Sarney, descartou nesta segunda-feira a possibilidade das mesas diretoras da Câmara e do Senado avaliarem o assunto esta semana.

Divergências
As divergências nas investigações da CPMI se agravaram em agosto, quando o relator da comissão, deputado José Mentor (PT-SP) suspendeu todas as investigações e determinou que fossem lacrados os documentos obtidos com a quebra de sigilo bancário de cerca de 1,4 mil pessoas, cujas informações teriam sido repassadas para a imprensa e estariam sendo usadas para extorquir executivos do mercado financeiro.
Nas últimas semanas, o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) tem acusado o relator de montar um banco de dados sobre a família Jereissati com as informações sigilosas recebidas pela Comissão. O PSDB também acusa o relator de agir sob o comando do do ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu. Sarney, no entanto, argumenta que o noticiário sobre o assunto tem sido muito rigoroso, principalmente em relação ao ministro José Dirceu, que está sendo vítima de notícias impróprias.

Investigação longa
A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito do Banestado apura as responsabilidades sobre a evasão de divisas do Brasil, especificamente para os chamados paraísos fiscais, em razão de denúncias reveladas pela operação Macuco, realizada pela Polícia Federal. Essa operação apurou a evasão de divisas do País, ocorridas entre 1996 e 2002, por meio das chamadas contas CC-5, principalmente as efetuadas pelo Banco do Estado do Paraná (Banestado). A CPMI foi instalada em junho de 2003 e teve seus trabalhos prorogados este ano.



Reportagem – Danielle Popov
Edição – Paulo Cesar Santos

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)