Cassilândia, Segunda-feira, 27 de Março de 2017

Últimas Notícias

29/10/2007 07:22

Cristina Kirchner vence eleição na Argentina

Julio Cruz Neto/ABr

Buenos Aires (Argentina) - Cristina Kirchner será presidente da Argentina a partir do dia 10 de dezembro, quando toma posse. A candidata da Frente pela Vitória venceu a eleiçao realizada ontem (28). Com 71,42% das urnas apuradas, ela tinha 43,4% dos votos, contra 23,03% de Elisa Carrió (Coalizão Cívica) e 17,74% de Roberto Lavagna (Uma Nação Avançada).

Um candidato vence no primeiro turno quando obtém 45% dos votos ou então 40%, desde que tenha vantagem de dez pontos percentuais sobre o segundo colocado. Esta é a regra eleitoral desde 1994, quando os ex-presidentes Raul Alfonsín e Carlos Menem firmaram o Acordo de Olivos.

Principal candidata da oposição, Carrió relutou em reconhecer a derrota, que boa parte da imprensa argentina, baseada nas pesquisas de boca-de-urna, dava como certa desde as 19 horas (20 horas de Brasília), quando a votação foi encerrada. Só à 1h30 (2h30 de Brasília), Carrió veio a público afirmar que Cristina Kirchner é a vencedora.

Cristina será a segunda mulher a assumir o comando do país e a primeira a ser eleita presidente, já que Maria Estela Martinez de Perón, a Isabelita, só governou de 1974 a 1976 devido à morte do marido Juan Domingo Perón, pois era vice-presidente. É também inédito o fato de uma mulher substituir o marido (no caso, Nestor Kirchner) na presidência de um país.

Às 21h58 (22h58 de Brasília), com apenas 10% da apuração concluída, Cristina foi anunciada como presidente por seus correligionários e subiu ao parlatório. Àquela altura, tinha pouco mais de 42% dos votos. A presidente eleita começou seu discurso enfatizando a ampla vantagem sobre os demais candidatos.

“Ganhamos talvez com a maior diferença entre a primeira força e a segunda desde o advento da democracia”, disse, referindo-se ao período desde 1983, quando terminou a última ditadura militar do país.

Cristina mandou também um recado à oposição. “A todos que talvez, não se sabe por quê, por distintas razões, podem desqualificarnos nesse processo eleitoral, queremos estender a mão, porque é necessário reconstituir o tecido social dos argentinos”.

Durante o domingo, diversos candidatos, inclusive Elisa Carrió e Roberto Lavagna, denunciaram a ocorrência de irregularidades. Teriam sido prejudicados pelo desaparecimento de cédulas eleitorais de suas coligações. Às vésperas da eleição, a oposição anunciou uma contagem paralela conjunta dos votos para se precaver contra possíveis fraudes.

Cristina enfatizou em seu discurso a necessidade de “aprofundar as mudanças” dos últimos quatro anos, período em que Nestor Kirchner governou o país. Esta foi a tônica da campanha, de que muito foi feito e ainda há muito a fazer. É um argumento repetido à exaustão pelos admiradores do casal.

“Se em 2003 alguém retratasse essa Argentina que temos hoje, certamente o chamariam de demagogo”, disse Cristina, referindo-se ao ano em que Néstor assumiu o poder, com o país ainda abalado pela grave crise que teve seu ápice no final de 2001.

“O homem que hoje me acompanha, e foi o companheiro de toda a vida, assumiu a presidência em circunstâncias muito diferentes, econômicas, sociais e também políticas e institucionais, porque o fez com escasso nível de participação popular”, afirmou.

Néstor foi eleito com menos de 23% em 2003. Cristina dirigiu-se de maneira específica às mulheres – disse ter uma “imensa responsabilidade” pelo gênero que representa – e aos jovens.

Ao final do discurso, apareceu no fundo do palco a mensagem “Na democracia, sempre ganhamos todos”. E uma chuva de papel picado azul e branco, cores da bandeira Argentina, caiu sobre o palco encerrando uma cerimônia festiva em que os presentes entoaram gritos de guerra, aplaudiram, cantaram, gritaram o nome de Nestor e emocionaram a nova presidente.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 27 de Março de 2017
Domingo, 26 de Março de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 25 de Março de 2017
21:10
Cassilândia
15:01
Curiosidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)