Cassilândia, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

29/06/2007 06:42

Construtor é condenado a 13 anos de prisão

TJGO

O construtor civil Narciso da Silva Peixoto, de 43 anos, foi condenado na terça-feira (26) pelo 1º Tribunal do Júri de Goiânia a 13 anos de reclusão por ter participado da morte de Giovanni Vitorino Pereira, que à época tinha 29 anos de idade. A pena aplicada ao réu, coincidentemente, é igual ao tempo que se passou desde que o crime foi praticado - 2 de abril de 1994. Ele cumprirá a pena em regime inicialmente fechado, na Penitenciária Odenir Guimarães, antigo Cepaigo. O juiz Jesseir Coelho de Alcântara determinou que Narciso permaneça em liberdade enquanto aguarda o trânsito em julgado da sentença, em razão de ter endereço conhecido e responder sempre aos chamados judiciais. Haviam sido denunciados ainda, pelo mesmo crime João Lúcio Gomes, Zaqueu Facina e José Facina. Os dois primeiros morreram e José teve o processo desmembrado.

Crime

De acordo com o Ministério Público (MP), uma semana antes do crime o réu contraiu uma dívida proveniente de gambira com Giovanni, que, ao cobrá-la, foi ameaçado de morte por Narciso, que se encontrava armado de uma escopeta. Na ocasião, o construtor foi seguido por policiais e encaminhado ao 20º Distrito Polícial, onde teve o revólver apreendido. Diante de tal circunstância o cunhado do réu, João Lúcio, comprometeu-se a pagar a dívida. No dia seguinte, Giovanni foi à casa de João Lúcio receber o dinheiro, e por não o ter encontrado, saiu nervoso chutando o carro e o portão da residência dele.

Segundo a denúncia, no dia do crime, Narciso, em parceria de Zaqueu, José e João, que, já não gostavam da vítima por rixas anteriores, resolveram eliminá-la. Decidiram que Zaqueu seria o executor e a arma a ser usada, um revólver do réu. Após terem procurado Giovanni em vários locais, os acusados o encontraram bebendo em um bar do Setor Santa Rita, quando Zaqueu, sem nada dizer, o surpreendeu com dois tiros. Ainda conforme os autos, o autor dos disparos se uniu aos demais comparsas que o aguardavam no carro, e foram à casa de Narciso participar de uma festa de aniversário.


Interrogatório


Ouvido em juízo, o réu negou que tivesse participado do homicídio. Ele disse que no momento do crime estava com os irmãos Facina e João, bebendo em um outro bar, no Bairro Goyá, e que Zaqueu saiu por um tempo para comprar cigarros. Narciso contou também que a vítima é quem lhe devia dinheiro pela venda de um veículo e Giovanni só tinha dado a "entrada" como forma de pagamento. (Sheila Cavalcante)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
09:00
Maternidade
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)