Cassilândia, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

21/08/2011 14:43

Companhia aérea proibida de voar deixa brasileiros retidos em Cuzco

Adrielen Alves, Agência Brasil

Cusco (Peru) – Cerca de 300 pessoas, entre os quais muitos brasileiros, lotam o saguão do Aeroporto Internacional de Cusco, no Peru. São passageiros da empresa aérea Peruvian Airlines, que teve as operações suspensas em todo o país pelo governo peruano. A espera por uma reacomodação em aviões de outras companhias aéreas já dura mais de seis horas. Representantes da Peruvian Airlines informaram que não há lugares suficientes para encaixar os passageiros prejudicados.

Quem tem conexão está tendo prioridade no embarque. Turistas que deveriam voltar para os países de origem perderam voos internacionais porque não conseguiram chegar a tempo à capital Lima.

Os aviões da companhia aérea peruana estão proibidos de levantar voo desde quinta-feira (18), por ordem do governo peruano. O Ministério de Transportes e Comunicações do país alega que a Peruvian Airlines descumpre normas de segurança e que a proibição visa a preservar a integridade dos passageiros.

Em nota oficial, o ministério informou que, nos últimos meses, foram identificados problemas nos sistemas de navegação e na operação das aeronaves que comprometem a segurança dos voos. Segundo o comunicado, foi constatada deterioração da capacidade técnica e de gestão da segurança operacional nos aviões da empresa.

De acordo com as autoridades peruanas, o governo implementou um plano, coordenado com as demais companhias aéreas do país, para transportar os passageiros que compraram bilhetes da Peruvian Airlines, sem custos adicionais. O ministério, no entanto, admitiu no comunicado que o embarque depende da disponibilidade de assentos nas outras empresas.

Segundo o ministério, a Peruvian Airlines começou a operar em outubro de 2009 e cobre as rotas de Cusco, Arequipa, Piura, Iquitos, Tacna e Tumbes. Dos sete aviões autorizados a voar, cinco estavam em funcionamento pleno antes da suspensão.

Por meio da assessoria de imprensa, o Itamaraty alegou não ter sido informado sobre o problema. Na embaixada brasileira em Lima, ninguém foi encontrado neste domingo para falar da situação dos brasileiros retidos em Cusco. A cidade andina de 300 mil habitantes é o principail destino turístico do Perú, pela importância histórica e por ser o acesso à cidade inca de Machu Picchu, considerada patrimônio da Humanidade pelas Nações Unidas.

* Colaborou Wellton Máximo, da Agência Brasil

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)