Cassilândia, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

03/01/2009 07:42

Com preço alto do bezerro, saída é o próprio rebanho

João Humberto, Campo Grande News

Dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) comprovam a tendência de redução do plantel de matrizes, fator que ocasionou ciclo de baixa produção da pecuária brasileira nos últimos anos. Segundo estatísticas, 3,8 milhões de vacas foram abatidas em 1998, número que foi aumentando ano a ano e em 2006 chegou a 11,2 milhões.

O grande número de abates nos últimos anos causou queda na oferta de bezerros, conforme matéria publicada no portal O Estadão. Por conta disso, o preço do bezerro subiu mais de 100% em todas as praças do país.

Em julho de 2006, segundo informação do site, a cotação do bezerro com cerca de 5,5 arrobas em Mato Grosso do Sul girava em torno de R$ 342. Já em julho de 2008, o valor chegou a R$ 725, conforme levantamento da consultorias agropecuárias especializadas.

Devido a baixa produção e alta de preços, o pecuarista que faz apenas cria ou todo o ciclo reprodutivo está conseguindo reduzir os custos de produção e garantir melhor rentabilidade. Mesmo assim, a maioria dos pecuaristas prefere apenas recriar e engordar os bezerros, pois a atividade de cria exige um manejo específico e demanda maior mão-de-obra.

O veterinário Reinaldo Ledesma, administrador da Fazenda Santa Bárbara, em Ivinhema (MS), destaca que a criação realmente dá mais trabalho e que é preciso ter estrutura e muito cuidado. Segundo entrevista publicada no portal O Estadão, o custo de cria é maior que o de engorda. Mas atualmente, segundo ele, compensa, porque o custo de cria está mais baixo que o preço do bezerro no mercado.

Ele ainda conta que na fazenda é tradição ser feito todo o ciclo pecuário, pois isso reduz o custo numa fase como a atual e um bezerro de qualidade é garantido. Mas, de acordo com o veterinário, todos os animais nascidos na fazenda abastecem o rebanho comercial da própria fazenda.

No local não são vendidos bezerros, mas sim comprados de fora. Na atual fase de preços altos a compra tem sido escassa, porém, o produtor que quiser fazer engorda precisa comprar. (Com Informações do site O Estadão).

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)