Cassilândia, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

24/01/2004 15:42

Cingapura quer comprar ovos no mercado brasileiro

Mapa Imprensa

O Brasil poderá exportar ovos para a Cingapura. A autoridade veterinária do país asiático enviou comunicado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) manifestando o seu interesse em importar o produto brasileiro, em razão da rápida propagação da influenza aviária – a chamada gripe do frango – na região. Atualmente, Cingapura consome cerca de 100 milhões de ovos frescos por mês, dos quais 70% são importados. O país quer passar a comprar de fornecedores que não apresentem riscos da doença em seus plantéis de aves.

No comunicado enviado à embaixada brasileira em Cingapura, transmitido ao Mapa por intermédio do Departamento de Promoção Comercial do Ministério das Relações Exteriores, o governo daquele país pede informações sobre o sistema de produção de aves e ovos no Brasil. No documento, a autoridade veterinária de Cingapura também relaciona quais as exigências que os exportadores brasileiros precisam cumprir para ter acesso àquele mercado.

Para exportar ovos a Cingapura, o Brasil terá de emitir um certificado assinado pela autoridade sanitária garantindo que está livre de influenza viária de alta patogenicidade há pelo menos seis meses antes do embarque do produto. Além disso, informa o documento, o país precisará assegurar que os ovos são infertilizados e originários de estabelecimentos previamente habilitados pelo governo de Cingapura.

O mercado do país asiático exige ainda que o produto seja rotulado com um código para identificar sua origem. O Brasil também deverá assegurar que os ovos têm origem em estabelecimentos testados e livres, por pelo menos três meses, de salmonella, da doença de Newcastle, bronquite ou laringotraqueite infecciosa, encefalomielite aviária, doença respiratória crônica, além dos vírus da enterite e da hepatite derivados de patos.

Os ovos destinados ao mercado de Cingapura devem ser limpos, frescos, prontos para o consumo humano e devidamente embalados. Os estabelecimentos exportadores serão identificados de acordo com seu nome, endereço, localização, detalhamento da população aviária, condições sanitárias, boas práticas gerenciais e regime de vacinação.

Os exportadores de ovos acreditam que as vendas externas do setor devem ter um crescimento de 6% neste ano, por causa do problema da “vaca louca” nos Estados Unidos e da gripe do franco nos países asiáticos. No ano passado, o Brasil exportou 15 milhões de unidades.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
03:14
Loteria
Terça, 06 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)